Geral

Fiems: Número de empregos na indústria cresce 66% em 5 anos

Com saldo de 1.236 empregos formais criados no mês de agosto deste ano, o setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, registra aumento de 66% no número de estoque de empregos formais nos últimos cinco anos, saltando de […]

Arquivo Publicado em 24/09/2010, às 11h21

None

Com saldo de 1.236 empregos formais criados no mês de agosto deste ano, o setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, registra aumento de 66% no número de estoque de empregos formais nos últimos cinco anos, saltando de 68.269 no ano base de 2005 para 113.100 nos primeiros oito meses deste ano, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego.


O resultado observado em agosto permitiu ao setor industrial de Mato Grosso do Sul alcançar o maior estoque de empregos formais já registrados para o mês nos últimos 15 anos, mantendo, dessa forma, a parcela de 21% de todo o emprego formal existente em Mato Grosso do Sul, ficando atrás somente dos setores de serviços (25%) e da administração pública (24%), com um total de 137,9 mil e 130,7 mil empregos formais, respectivamente, e na frente do comércio, com 101,1 mil, e da agropecuária, com 64,4 mil. Hoje, com o saldo acumulado no ano, Mato Grosso do Sul obteve a marca de 547,4 mil postos formais de trabalho, indicando uma elevação equivalente a 6,16% sobre o estoque total verificado ao fim de 2009.


Na avaliação do Radar da Fiems, em 2010, o setor industrial sul-mato- grossense vem acumulando sucessivos recordes, alcançando, deste modo, a cada mês, o maior estoque de empregos formais já obtidos ao longo de sua série histórica. Ainda conforme o Radar da Fiems, com esse crescimento de 66% em cinco anos, o setor industrial ampliou ainda mais a sua evolução acumulada na comparação com os setores de serviços, que registrou alta de 38% no mesmo período, do comércio, com aumento de 26%, da agropecuária, com elevação de 17%, e da administração pública, que subiu 13%.


No caso do emprego formal de todos os setores da economia em Mato Grosso do Sul, o índice de evolução alcançou ascensão de 31% de 2005 a até agosto de 2010. Constata-se, deste modo, que no período compreendido, o ritmo de expansão do emprego formal na indústria em Mato Grosso do Sul foi 27% maior que o apresentado pelo conjunto da economia estadual. Na mesma comparação, em relação aos segmentos de serviços, comércio, agropecuária e administração pública, o ritmo de expansão da indústria foi maior em 20%, 31%, 41% e 47%, respectivamente.


Por fim, na comparação com o mês imediatamente anterior, o índice de evolução do emprego formal na indústria, comércio, serviços e administração pública elevaram-se em 1,1%, 0,7%, 0,5% e 0,1%, respectivamente, enquanto na agropecuária, na mesma comparação, apresentou uma redução equivalente a 1%. Ainda com o desempenho verificado em agosto, o segmento industrial mantém sua elevada participação sobre o saldo total de empregos formais criados, no ano, em Mato Grosso do Sul.


Para se ter idéia, de janeiro a agosto deste ano, as indústrias sul-mato- grossenses geraram 9.798 novos postos formais de trabalho, o que corresponde a 41% do total de novos empregos gerados no Estado. Na seqüência, aparecem os setores de serviços, com 7.721 vagas ou 32%, agropecuária, com 3.551 vagas ou 15%, e o comércio, com 2.771 vagas ou 12% do total de novos empregos criados em 2010.


Nota – O Índice de Evolução do Emprego Formal, criado pelo Radar Industrial da Fiems, visa mostrar a evolução ocorrida no estoque de empregos formais em Mato Grosso do Sul a partir do estoque verificado no fim de 2005, ano escolhido como base e que servirá de referência para os demais períodos. Ao ano base é atribuído um valor igual a 100, assim, a partir dele as variações são apresentadas em pontos, indicando a evolução ocorrida. Por exemplo, em um dado momento o índice apurado é igual a 110, ou seja, em relação ao período tomado como base, no nosso caso 2005, houve uma elevação equivalente a 10%.

Jornal Midiamax