Geral

Execução de violeiro pode ter sido crime passional

A Polícia Civil de Antônio João, cidade distante 52 quilômetros de Ponta Porã, suspeita que o motivo do assassinato do violeiro Marco Antônio Rodrigues, 42 anos, o “Marcão”, pode ter tido fundo passional. O crime ocorreu no final de semana e também deixou um professor ferido. José Miguel Neto, de 52 anos, vulgo “Paraná”, é […]

Arquivo Publicado em 19/12/2010, às 11h18

None

A Polícia Civil de Antônio João, cidade distante 52 quilômetros de Ponta Porã, suspeita que o motivo do assassinato do violeiro Marco Antônio Rodrigues, 42 anos, o “Marcão”, pode ter tido fundo passional. O crime ocorreu no final de semana e também deixou um professor ferido.


José Miguel Neto, de 52 anos, vulgo “Paraná”, é apontado como autor dos quatro disparos que tiraram a vida de Marcão, que estava cantando na lanchonete Pedágio, na Rua Campo Grande, centro da cidade. O professor Rui Dias de Mattos, 56 anos, que estava no carro esperando a vítima, tentou fugir e levou dois tiros no braço esquerdo.


As autoridades estão apurando a informação de que Marcão e José teriam tido uma desavença, supostamente por motivos passionais e na cidade haveria rumores de que o violeiro teria prometido matar José por causa do problema. Marcos cantou bastante na lanchonete, até ser alvejado pelo seu desafeto.

Jornal Midiamax