Geral

Encontro debate resgate das origens culturais dos países do Mercosul

A primeira reunião da Diversidade do Mercosul Cultural, encerrada hoje (6) no Rio de Janeiro, destacou o resgate das origens culturais que vem ocorrendo no continente, sobretudo em países que passaram por ditaduras e que hoje são comandados por governos populares. “Os quatro países que se apresentaram hoje, no Encontro da Diversidade Cultural – Brasil, […]

Arquivo Publicado em 06/09/2010, às 19h00

None

A primeira reunião da Diversidade do Mercosul Cultural, encerrada hoje (6) no Rio de Janeiro, destacou o resgate das origens culturais que vem ocorrendo no continente, sobretudo em países que passaram por ditaduras e que hoje são comandados por governos populares.


“Os quatro países que se apresentaram hoje, no Encontro da Diversidade Cultural – Brasil, Equador, Paraguai e Uruguai – estão fazendo a mesma coisa. Ou seja, valorizando as camadas sociais invisíveis para as políticas públicas culturais”, disse o secretário de Identidade e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (MINC), Américo Córdula.


A valorização dos povos e a questão de gênero, das políticas para juventude, para idosos e para a diversidade sexual constituem um trabalho comum nessas nações, afirmou Córdula. “Há hoje uma conscientização desses países e programas semelhantes. Aqui no Brasil, temos os Pontos de Cultura; no Uruguai, as Oficinas de Cultura; o Paraguai também está implantando os Pontos de Cultura; no Equador, há uma preocupação com a memória e as universidades indígenas.”


O secretário disse que os projetos estão correndo paralelamente. Segundo ele, a troca de ideias é importante porque “todos estão indo para um caminho semelhante nas suas dinâmicas”. O encontro também foi ma oportunidade para que o público tomasse conhecimento do que está ocorrendo em termos de políticas culturais na América do Sul.


Córdula ressaltou que um dos pontos de consenso é a realização de um encontro da diversidade cultural no âmbito sul-americano. “Vai ser um desafio enorme. Uma das propostas é essa, além do mapeamento, para resolver a questão da fronteira cultural”. Foi sugerida a criação de fóruns e reuniões nas fronteiras dos países do continente. As propostas serão levadas para a reunião de ministros da Cultura do Mercosul, que ocorrerá em dezembro próximo, no Brasil.

Jornal Midiamax