Geral

Enchentes: governo federal sinaliza a MS liberação de R$ 10 milhões a R$ 15 milhões

Estado pediu R$ 22 milhões para reconstruir as cidades de Novo Horizonte do Sul, Coxim, Miranda, Ivinhema e Aquidauana

Arquivo Publicado em 27/01/2010, às 20h17

None

Estado pediu R$ 22 milhões para reconstruir as cidades de Novo Horizonte do Sul, Coxim, Miranda, Ivinhema e Aquidauana

Mato Grosso do Sul pediu R$ 22 milhões para reconstruir as cidades de Novo Horizonte do Sul, Coxim, Miranda, Ivinhema e Aquidauana, mas o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, sinalizou para recursos na ordem de R$ 10 milhões até R$ 15 milhões, segundo informou ao Midiamax o deputado federal Waldemir Moka (PMDB).

Pontes e estradas vicinais não suportaram o volume da chuva e agora, o Estado busca auxílio para as obras.

A informação é resultado da reunião que aconteceu nesta tarde no gabinete de Geddel Lima, em Brasília (DF). O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), deputados federais, prefeitos das cidades que tiveram prejuízos com enchentes, representante da Defesa Civil e secretários do Estado participaram da reunião que se dividiu entre a Defesa Civil do governo federal e o Ministério da Integração.

Segundo Moka, o prefeito de cada cidade apresentou o levantamento dos prejuízos. Somente Novo Horizonte do Sul teve decretado pelo Estado a situação de emergência, um dos passos importantes para o recebimento de recursos federais. A cidade pediu R$ 15 milhões, mas deverá receber um montante menor, ainda não confirmado oficialmente.

Ao menos R$ 7 milhões deverão ser divididos entre as cidades cujas prefeituras decretaram individualmente o estado de emergência: Aquidauana, Miranda, Coxim e Ivinhema. O restante, que será administrado pelo governo estadual, será para reconstruir Novo Horizonte do Sul.

As cidades que não se enquadraram nos critérios técnicos foram Jateí e Vicentina, mas o governo estadual deverá recuperar as estradas e pontes destas localidades.

O prazo para a liberação dos recursos vai depender do processo administrativo. A Defesa Civil do governo federal vai analisar o levantamento dos estragos feitos e o valor dos recursos para solucionar os problemas. Isso tudo levaria 20 dias, prevê Moka.

Papel

Deputados de diferentes siglas participaram da reunião. Segundo Moka, que é coordenador da bancada de Mato Grosso do Sul, os deputados e senadores têm colocado as adversidades políticas de lado quando o assunto é buscar o auxílio federal para solucionar problemas do Estado.

Participaram da reunião o deputado federal Vander Loubet (PT), Geraldo Resende e Waldemir Moka (PMDB), os secretários de Obras, Edson Girotto (PR), de Habitação, Carlos Marum (PMDB), o coordenador estadual da Defesa Civil, Ociel Ortiz Elias e os respectivos prefeitos. Moka ressaltou que os outros deputados federais mandaram assessores técnicos acompanhar a reunião.

Jornal Midiamax