Geral

Em crise energética, Venezuela deverá receber ajuda do Brasil, diz jornal

Reportagem publicada pelo jornal “Folha de S. Paulo” deste sábado (30) afirma que o governo brasileiro deverá enviar uma “missão técnica de alto nível” à Venezuela com a finalidade de colaborar na resolução da crise energética. O jornal relata uma visita do assessor internacional da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, do secretário-executivo do Ministério […]

Arquivo Publicado em 30/01/2010, às 14h19

None

Reportagem publicada pelo jornal “Folha de S. Paulo” deste sábado (30) afirma que o governo brasileiro deverá enviar uma “missão técnica de alto nível” à Venezuela com a finalidade de colaborar na resolução da crise energética.


O jornal relata uma visita do assessor internacional da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, do secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, e de técnicos de alto nível de Furnas, da Eletronorte e de Itaipu à Venezuela. Segundo a reportagem, eles se encontraram com Alí Rodríguez, ministro de Energia Elétrica do governo Hugo Chávez.


 Em entrevista ao jornal, o assessor internacional do Planalto afirmou que estão sendo acertadas medidas de “curto prazo” e que o governo brasileiro quer “assessorar” os venezuelanos com medidas de médio e longo prazo. De acordo com a “Folha de S. Paulo”, uma comitiva venezuelana viajará na próxima semana a Brasília para reuniões com representantes do setor elétrico brasileiro.


Depois, diz a reportagem, será a vez de especialistas da usina de Itaipu darem auxílio técnico na hidrelétrica de Guri. Segundo a reportagem, Garcia relatou que uma melhor manutenção do sistema elétrico venezuelano ajudaria a reduzir a crise. “Há muita coisa que pode ser resolvida exclusivamente com operações de manutenção, que reduziriam a ameaça de desabastecimento.


No dia 12 de janeiro, Chávez anunciou um plano de racionamento de energia. Em todo o país, as cidades ficarão às escuras durante quatro horas a cada dois dias. A Venezuela reduziu o envio de energia ao Brasil. A jornada de trabalho dos funcionários públicos foi reduzida para cinco horas diárias.

Jornal Midiamax