Geral

Eleições 2010: FHC vota em SP e diz que ‘PT e governo’ dinamitaram pontes

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso compareceu para votar neste domingo (31) no colégio Nossa Senhora do Sion, na avenida Higienópolis, região central de São Paulo. Ele foi a pé da sua casa e chegou por volta das 10h50. Antes de votar, ele falou com a imprensa e foi aplaudido pelos eleitores. Após sair da seção, […]

Arquivo Publicado em 31/10/2010, às 18h14

None

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso compareceu para votar neste domingo (31) no colégio Nossa Senhora do Sion, na avenida Higienópolis, região central de São Paulo. Ele foi a pé da sua casa e chegou por volta das 10h50.

Antes de votar, ele falou com a imprensa e foi aplaudido pelos eleitores. Após sair da seção, ele conversou mais uma vez rapidamente com os jornalistas. Perguntado sobre as pesquisas de intenção de voto que apontam vitória da candidata petista Dilma Rousseff, Fernando Henrique afirmou: “a previsão para hoje era de chuva. Eu estava com um medo danado de que fosse chover, mas olha esse sol todo”, ironizou.


Ainda ao se referir sobre pesquisas, ele recordou a campanha à Prefeitura de São Paulo, em 1985, quando às vésperas do pleito ele era apontado como o favorito, mas acabou derrota pelo ex-presidente Jânio Quadros. “Pesquisa é pesquisa. Não vou desacreditar as pesquisas, mas estas não captam tudo”, afirmou.


Ele disse também esperar que saia “um Brasil mais forte das urnas” e que o futuro presidente trabalhe para construir um país mais preparado para competir com as grandes nações. “O Brasil precisa pensar mais sobre o seu futuro. Acho que seria muito bom, ganhe quem ganhar, que tivesse uma boa visão do Brasil. Precisamos criar uma sociedade, com respeito à democracia, que não tenha abuso de poder por parte de ninguém. Tem muito assunto para ser discutido, mas nada disso foi objeto da campanha”, disse.


Independentemente de quem for eleito à Presidência, Fernando Henrique Cardoso espera mais colaboração entre o PSDB e o PT. “Eu esperava mais cooperação, mas o governo Lula se caracterizou pela intransigência. Espero que isso mude, porque senão não avançaremos politicamente. O Brasil precisa de pontes, mas a ponte precisa ser construída. Por enquanto, o PT e o governo foram dinamitadores de pontes”, declarou.


Ao ser questionado sobre a sua relação com o atual presidente, Fernando Henrique disse “não ter mágoa” de Lula. “Ele perdeu a oportunidade de construir uma democracia mais tranquila. Se ele fosse um pouco menos agressivo, se tivesse uma visão mais pluralista, se fosse um pouquinho mais humilde, teria sido melhor”.  E, antes de terminar, ele revelou, com bom humor: “já convidei (o Lula) para tomar um café. Um só, porque ele sabe que sou pão-duro”.

Jornal Midiamax