Geral

Dona de escola desaparece e foge com dinheiro de pais

A diretora de uma escola particular de Goiânia (GO) fugiu após receber o dinheiro de matrícula de cerca de 130 alunos para o ano letivo de 2010. Ela se apresentou à polícia depois que pais e funcionários da escola a denunciaram. De acordo com o delegado Waldir Soares de Oliveira, da 22ª DP, Jeny Maria […]

Arquivo Publicado em 29/01/2010, às 00h15

None

A diretora de uma escola particular de Goiânia (GO) fugiu após receber o dinheiro de matrícula de cerca de 130 alunos para o ano letivo de 2010. Ela se apresentou à polícia depois que pais e funcionários da escola a denunciaram.

De acordo com o delegado Waldir Soares de Oliveira, da 22ª DP, Jeny Maria da Rocha era diretora da escola Primeiro Passo, que encerrou as atividades em 2009.

Com o fim do colégio, ela convocou os pais dos alunos a matricular seus filhos na escola dela, que se chamaria Intelectus e seria instalada no bairro São Carlos –em uma das regiões mais pobres de Goiânia.

Segundo os depoimentos, foram feitas 130 matrículas de alunos do maternal à 5ª série, ao preço de R$ 73 cada. Alguns pais prestaram serviços nas obras do prédio da escola como forma de pagamento adiantado e deram o material escolar solicitado na matrícula.

No última sexta-feira (22), no entanto, os pais foram à polícia denunciar o desaparecimento da dona da escola. A polícia foi até o local e encontrou também móveis e materiais da escola onde ela trabalhava antes.

A instituição não possui qualquer tipo de cadastro ou documentação que autorizasse o funcionamento.

Na terça-feira (26), Rocha se apresentou à polícia e disse que estava disposta a ressarcir os valores aos pais dos alunos.

Segundo o delegado, ela deve responder em liberdade por crimes de estelionato, apropriação indébita e falsidade ideológica, entre outros.

A documentação dos alunos, que estava retida na escola e impedia que eles se matriculassem em outros estabelecimentos, foi devolvida aos pais deles.

A Folha tentou localizar o advogado da diretora nesta quinta-feira para comentar o caso, mas ele não foi encontrado.

Jornal Midiamax