Geral

Direção nacional proíbe que PT de Dourados indique o vice de Murilo

A Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores comunicou oficialmente que “a política de alianças do PT para disputar a eleição em Dourados não deve incluir o DEM na cabeça de chapa”.

Arquivo Publicado em 21/12/2010, às 14h33

None

A Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores comunicou oficialmente que “a política de alianças do PT para disputar a eleição em Dourados não deve incluir o DEM na cabeça de chapa”.

A Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores “considera que a política de alianças do PT para disputar a eleição em Dourados não deve incluir o DEM na cabeça de chapa”. Isso significa que o DEM pode apenas indicar o candidato a vice na chapa do PT que na interpretação dos filiados terá obrigatoriamente que ter candidatura própria.


A Executiva Nacional decidiu também que o Diretório Municipal do PT de Dourados deve seguir o calendário apresentado pela Secretaria de Organização e, portanto, o encontro que estava marcado para a noite desta terça-feira foi adiado para o dia 30 de dezembro.


Estas decisões foram tomadas na reunião da Executiva Nacional realizada nesta segunda-feira em Brasília. A resolução da CEN foi enviada por e-mail às direções municipal e estadual do PT que repassaram as informações aos 152 delegados com direito a participar do Encontro Municipal do dia 30.


Como a tese de lançamento de candidatura própria está de pé, o vereador Elias Ishy, que já registrou sua pré-candidatura, está visitando cada um dos 152 delegados em busca de apoio para ser o candidato oficial do partido.


A resolução da CEN tomada em 20 de dezembro leva em consideração a posição que o PT tem tomado em relação ao DEM desde 2002 quando ficaram proibidas coligações com o Democratas.


Com esta decisão da Executiva Nacional, os partidários de Elias Ishy trabalham para trazer formar um arco de alianças com a vinda do PSDC (Partido da Social Democracia Cristã), o PCdoB (Partido Comunista do Brasil), o PSB (Partido Socialista Brasileiro) e o PV (Partido Verde).

Jornal Midiamax