Geral

Dilma faz apelo para que se crie ambiente de confraternização

Em campanha hoje (23) nas cidades paulistas de  Diadema e  Carapicuíba, a candidata do PT à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, disse que será como uma mãe para o Brasil, se eleita presidente da República. Afirmando estar emocionada com a militância política, a candidata apelou para que, a uma semana das eleições, sejam evitadas situações de […]

Arquivo Publicado em 23/10/2010, às 18h52

None

Em campanha hoje (23) nas cidades paulistas de  Diadema e  Carapicuíba, a candidata do PT à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, disse que será como uma mãe para o Brasil, se eleita presidente da República. Afirmando estar emocionada com a militância política, a candidata apelou para que, a uma semana das eleições, sejam evitadas situações de confronto com a oposição e agressões.

“Faço um apelo. É muito importante que a gente crie um ambiente de mais confraternização com o eleitor do que esse ambiente que cria desavenças e episódios desagradáveis”, disse a candidata, em entrevista coletiva em São Paulo. “Estou muito feliz. Foi muito bonito. Foi uma festa democrática”, acrescentou, referindo-se à passeata, em Diadema, e à carreata, em Carapicuíba.

Dilma lembrou que o sentimento que predomina no Brasil é o da alegria. “Nós somos um dos poucos países em que a democracia ocorre em um espírito de alegria e com o mesmo espírito que se vê no carnaval e em outras grandes festas”, disse ela. “Espero que daqui para a frente não tenha um espírito de ódio.”

No discurso, Dilma ressaltou como pretende governar o país, se eleita. “Eu governarei este país como se fosse uma mãe cuidando das pessoas”, afirmou a candidata, pedindo votos. “Estou confiante que serei a primeira mulher presidente da República [no Brasil] e me comprometo a manter a política [social] do presidente Lula, que foi a maior que o Brasil já teve.”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve ao lado de Dilma em Diadema e Carapicuíba.  A  primeira-dama Marisa Letícia participou da passeata em Diadema acompanhada pelos senadores Eduardo Suplicy e Aloizio Mercadante, ambos do PT de São Paulo, e a senadora eleita Marta Suplicy (PT-SP).

Jornal Midiamax