Dia da Mulher: na cidade, 300 camponesas protestam por educação, segurança e contra exploração

Elas percorrem a Avenida Afonso Pena e vão permanecer em frente ao Incra; carta de reivindicações serão levadas ao órgão responsável pela reforma agrária e secretarias de Educação e Segurança
| 08/03/2010
- 16:59
Dia da Mulher: na cidade, 300 camponesas protestam por educação, segurança e contra exploração

Elas percorrem a Avenida Afonso Pena e vão permanecer em frente ao Incra; carta de reivindicações serão levadas ao órgão responsável pela reforma agrária e secretarias de Educação e Segurança

“No Brasil, a cada 15 segundos uma mulher é vítima de violência. Em 1 hora 240 mulheres sofrem algum tipo de violência”. (Fundação Perseu Abramo)

No Dia da Mulher, 8 de março, 300 camponesas acampadas e assentadas de Mato Grosso do Sul fazem um ato por melhorias na educação, segurança e contra a exploração no setor do agronegócio. Na principal avenida de Campo Grande, a Afonso Pena, elas chamam a atenção e pedem das autoridades medidas para as mulheres do campo.

O tráfego está lento, mas o trânsito flui com a ajuda dos policiais militares de trânsito. As camponesas caminham com faixas e gritam o nome de Dorcelina Folador, mulher do campo, ex-prefeita de Mundo Novo assassinada em 1999.

Há três dias elas estão acampadas perto do Bairro Coophavila II e hoje, percorreram com seus filhos os cerca de 20 quilômetros a pé até o Centro de Campo Grande, onde deverão permanecer em frente ao Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), na Avenida Afonso Pena.

De Nioaque, Laura dos Santos, 38, e Vera Dias, 54, participam da caminhada. Vera carrega o netinho em um carrinho de mão. Tanto ela como Laura dizem que o ato é importante porque neste dia, elas podem falar para a sociedade o que esperam para suas vidas.

A professora Gilda Maria dos Santos, esposa do ex-governador Zeca do PT esteve na caminhada.

Rosas

Panfletagem e entrega de rosas às mulheres acontecem na esquina da Avenida Afonso Pena com a Rua 14 de Julho a PM (Polícia Militar), nas Moreninhas e no cruzamento da Via Parque com a Avenida Mato Grosso. A Polícia Militar e membros da coordenadoria estadual de Políticas Públicas para as Mulheres fazem a distribuição.

Últimas notícias