Geral

Denúncias de corrupção em MS são muito graves, diz procurador-geral da República

Roberto Gurgel já designou procurador da República para cuidar das denúncias. Escândalo envolveu governador, Mesa Diretora da Assembleia, membros do TJMS e do MPE com suposto desvio de recursos públicos.

Arquivo Publicado em 20/10/2010, às 16h39

None

Roberto Gurgel já designou procurador da República para cuidar das denúncias. Escândalo envolveu governador, Mesa Diretora da Assembleia, membros do TJMS e do MPE com suposto desvio de recursos públicos.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que as denúncias de corrupção que envolvem os três poderes e o Ministério Público Estadual são muito graves e devem ser devidamente apuradas. A declaração foi dada em audiência concedida à Comissão Especial da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MS).


De acordo com o presidente Ordem, Leonardo Avelino Duarte, o procurador-geral da República prontificou-se em ajudar as entidades e conselhos de classe que compõem o Fórum MS pela Ética na averiguação de todas as denúncias já formalizadas.


“O procurador disse que vai aproximar o MPF e o MPE para que todos os fatos sejam devidamente esclarecidos e, inclusive, já designou um procurador da república para cuidar do assunto”, afirmou Duarte.

O encontro aconteceu no final da manhã desta quarta-feira (20), em Brasília e contou com a participação do presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados, Ophir Cavalcante, do presidente da Seccional de Mato Grosso do Sul, Leonardo Avelino Duarte, do ex-presidente da entidade Marcelo Barbosa Martins e do advogado Marco Antonio Castelo.

No final da tarde, ainda em Brasília, a Comissão se reúne com a ministra e corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon, com o objetivo de pedir o empenho do CNJ na apuração das denúncias de corrupção em Mato Grosso do Sul e que envolvem todas as esferas.

Durante a audiência com a ministra Eliana Calmon, os membros da Comissão farão um relato das ações que estão sendo tomadas pelo Fórum MS pela Ética e que envolvem a participação de diversas entidades e conselhos de classe.


Até agora já foram realizadas reuniões com o procurador-geral de Justiça , Paulo Alberto de Oliveira, com o superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul,  José Rita Martins Lara e com o Procurador Geral da República em Mato Grosso do Sul,  Blal Yassine Dalloul e com procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

“Vamos conversar com a ministra a respeito da  preocupação da sociedade sul-mato-grossense em relação a  apuração das denúncias que foram veiculadas pela internet antes da realização do primeiro turno das eleições”,  afirmou Duarte, lembrando que no dia 29 de setembro,  as entidades, em parceria com a OAB/MS, divulgaram uma carta aberta à sociedade.


Sociedade já não tolera


O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, disse que deixou o gabinete de Roberto Gurgel com a convicção de que “a sociedade de Mato Grosso do Sul dentro em breve terá uma resposta, que certamente será no sentido de cumprir a Lei e a Constituição, independentemente dos envolvidos”.


Conforme denúncias do deputado estadual Ary Rigo, que foram gravadas, os envolvidos seriam autoridades graduadas dos três poderes. Para Ophir, “a sociedade brasileira já não tolera mais a protelação em decisões importantes sobre seus destinos e naquilo que ela mais procura zelar, que  são a moralidade pública e a integridade das instituições”.

Jornal Midiamax