Geral

Contratos com a MTA serão mantidos, segundo Correios

O presidente dos Correios, David José de Matos, afirmou nesta segunda-feira (20) que a estatal vai manter todos os contratos com a empresa Master Top Linhas Aéreas (MTA), apesar das denúncias de tráfico de influência e pagamento de propina envolvendo a empresa e funcionários da Casa Civil. Segundo ele, os contratos não têm irregularidades. “Não […]

Arquivo Publicado em 20/09/2010, às 21h10

None

O presidente dos Correios, David José de Matos, afirmou nesta segunda-feira (20) que a estatal vai manter todos os contratos com a empresa Master Top Linhas Aéreas (MTA), apesar das denúncias de tráfico de influência e pagamento de propina envolvendo a empresa e funcionários da Casa Civil. Segundo ele, os contratos não têm irregularidades.


“Não há irregularidade no contrato. Os contratos são absolutamente regulares e transparentes”, afirmou Matos.


Além da afirmação do presidente, o chefe de departamento de Relacionamento Institucional dos Correios, Mário Renato Borges da Silva, responsável por explicar “tecnicamente” os contratos da MTA com o órgão, foi além ao tentar justificar a manutenção das relações com a empresa:


“O contrato é decorrente de processo licitatório. Não tem a menor possibilidade de os Correios rescindirem um contrato que foi feito lisamente, transparentemente e regularmente. São contratos que nós dos Correios seremos penalizados se tivermos que rescindir o contrato porque há uma suspeita, uma denúncia, uma acusação que está sendo feita e vai e se cancela um contrato em função disso?”, afirmou Mário Renato.


Questionado se a demissão de um diretor dos Correios não seria motivo para colocar sob suspeita os contratos com a MTA, Mario Renato afirmou que a saída do diretor de Operações da estatal, coronel Eduardo Arthur Rodrigues da Silva, “foi uma decisão de foro íntimo”: “Foi por razão de foro íntimo e ele fez o pedido de demissão.”


Nesta segunda, o diretor de Operações da estatal, coronel Eduardo Arthur Rodrigues da Silva, pediu demissão do cargo. Ele é suspeito de ligação com a empresa, segundo reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo”.


De acordo com a reportagem, o ex-diretor dos Correios seria representante de um empresário argentino, apontado como verdadeiro dono da empresa aérea. O jornal afirmou ainda que Silva estaria atuando para transformar a MTA na empresa de carga aérea oficial dos Correios. Ele nega as acusações.

Jornal Midiamax