Geral

Conselho Tutelar acolhe bebê que teria sido vendido por R$ 500

Um menino de 7 meses que teria sido vendido pela mãe por R$ 500 em Canoas (RS) foi acolhido pelo Conselho Tutelar nesta quinta-feira (21). De acordo com informações da polícia, a mãe seria dependente química e teria alegado falta de condições financeiras para criar o bebê, que é irmão de outras duas crianças, de […]

Arquivo Publicado em 22/10/2010, às 00h48

None

Um menino de 7 meses que teria sido vendido pela mãe por R$ 500 em Canoas (RS) foi acolhido pelo Conselho Tutelar nesta quinta-feira (21). De acordo com informações da polícia, a mãe seria dependente química e teria alegado falta de condições financeiras para criar o bebê, que é irmão de outras duas crianças, de 6 e 8 anos.


A denúncia contra a suposta venda do bebê partiu de uma prima da mãe, na quarta-feira (20). Segundo a conselheira tutelar Fabiane Saft, essa prima e o avô paterno do menino já manifestaram interesse pela guarda do menor. A família que estava com a criança também pode entrar com o pedido de guarda. Fabiane Saft considera que o bebê “estava bem cuidado, o local onde ele estava era bom e a família já cuidava dele há um mês”, disse.


Na Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA) de Canoas, a suspeita apresentou uma declaração escrita à mão doando o bebê por não ter “condições de cria-lo por motivo de ser dependente química” e não ter onde morar. Ela teria recebido R$ 200 para entregar o filho e receberia outros R$ 300 em novembro.


Tanto os pais do bebê quanto os supostos compradores devem ser autuados pelo artigo 238 do Estatuto da Criança, que descreve o crime de “prometer ou efetivar a entrega de filho ou pupilo a terceiro, mediante paga ou recompensa”. A pena prevista é de um a quatro anos de reclusão, mais multa.

Jornal Midiamax