Geral

Caarapó: Hospital São Mateus atende acima de sua capacidade

Após receber uma série de reclamações, o Hospital São Mateus entrou em contato com o CaarapoNews para fazer esclarecimentos quanto ao atendimento prestado à população de Caarapó. De acordo com a direção do hospital, entre os dias 19 e 22, foram 279 atendimentos a pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) das 22h às 7h […]

Arquivo Publicado em 26/03/2010, às 20h11

None

Após receber uma série de reclamações, o Hospital São Mateus entrou em contato com o CaarapoNews para fazer esclarecimentos quanto ao atendimento prestado à população de Caarapó.

De acordo com a direção do hospital, entre os dias 19 e 22, foram 279 atendimentos a pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) das 22h às 7h da manhã, números que são resultado da atual condição do município frente à epidemia da dengue.

Às 57 horas contabilizadas nos três dias de atendimento de madrugada resultaram em cerca de 12 minutos para cada um dos pacientes. “Isso é humano? Não, nem para o profissional e nem para o paciente”, salientou a diretora do hospital, Conceição Piccolo. Segundo ela, o correto é que os médicos tenham de 20 a 30 minutos para atender e fazer as devidas prescrições a cada paciente, ou seja, somente 171 dessas pessoas poderiam ter sido atendidas.

A diretora do São Mateus reclama da pouca compreensão recebida dos caarapoenses pelo trabalho realizado pelo hospital: “Só quem está aqui dentro diariamente sabe das dificuldades que enfrentamos. Os profissionais da Saúde estão cansados, exaustos diante de tanta procura, nossas condições humanas e estruturais ficam aquém do desejado, mas estamos fazendo o máximo que podemos”.

Piccolo esclarece, ainda, que o Hospital São Mateus é uma entidade privada que presta serviços ao SUS, mas que só deve ser procurado em caso de urgência ou emergência. “A população deve procurar, primeiramente, os PSFs e o PAM, onde deverão ter um atendimento básico e contínuo e só depois o hospital. Oferecemos ao SUS 60% de atendimento, mas atendemos bem mais que isso, chegando até a 80%”, explicou.

Para ela, a solução para a superlotação do hospital, especialmente nessa época de combate à dengue, seria a abertura do PAM aos finais de semana. Entre os dados disponibilizados à população estão os de que, para 84 internações, o hospital recebe do SUS R$ 70.062/mês, mas realizou, nos dois últimos meses, 120 internações com o mesmo valor. Com os R$ 11.302/mês para 500 atendimentos de urgência e emergência estão sendo atendidos cerca de 1.500 pacientes.

Procurado pela reportagem, o prefeito Mateus Palma de Farias respondeu, através de sua assessoria, que a Administração colabora com o hospital dentro do possível e recentemente atendeu ao pedido do São Mateus disponibilizando um médico plantonista à entidade.

A prefeitura, ainda de acordo com Mateus, está disposta a continuar contribuindo com o repasse. Quanto à abertura do PAM aos finais de semana e feriados, o prefeito afirmou não haver condições físicas e humanas para atender essa solicitação.

Já o Secretário Municipal de Saúde, Paulo César Gonçalves, disse que o PAM enfrenta os mesmos problemas do Hospital São Mateus e atualmente não existem condições para atender fora dos dias úteis. “Sei dos problemas enfrentados pelo Hospital São Mateus, mas nosso caso não é diferente. É uma questão de procurar o prefeito e discutir soluções para tentar amenizar a situação”, falou.

Gonçalves lembrou que em Caarapó faltam médicos inclusive nas clínicas particulares e, devido à indefinição do resultado do concurso público, há dificuldades na contratação de profissionais.

Para ele, assim como para a diretora do Hospital São Mateus, é necessário conscientizar as pessoas para que, em casos de atendimento básico, procurem os PSFs e assim colaborem com o PAM e com o hospital, fato esse que não vem ocorrendo, segundo ambos, por comodidade da população.

Jornal Midiamax