Geral

Briga interna pode derrubar candidatura de Ney Braga do PSOL

De um lado o grupo ligado a Henrique Martini diz que Ney Braga terá candidatura impugnada; no outro extremo, o candidato tem o apoio da presidência nacional do partido que virá ao MS lançar candidatura socialista

Arquivo Publicado em 12/07/2010, às 22h45

None

De um lado o grupo ligado a Henrique Martini diz que Ney Braga terá candidatura impugnada; no outro extremo, o candidato tem o apoio da presidência nacional do partido que virá ao MS lançar candidatura socialista

Enquanto as outras coligações já colocaram o bloco de campanha nas ruas, uma briga interna entre partidários e o candidato a governador pelo Partido Socialista pode colocar a candidatura de Ney Braga ao governo do Estado em perigo. A informação é de Henrique Martini, membro do diretório regional.

“Entramos com pedido de impugnação da candidatura de Ney Braga no diretório nacional e a informação que recebemos é que ela foi aceita”, afirmou Martini.

Segundo ele, o candidato socialista já cometeu vários erros considerados “imperdoáveis” pelos correligionários. “Nós tivemos problemas e ele não quis resolver internamente e sim mover um processo. Não é assim que se resolvem as coisas na esquerda. Ele inclusive foi desfiliado do partido e fez nova filiação a revelia do diretório municipal”, acusou.

Ney Braga rebate o colega de partido. “Não estou sabendo disso, mas se quiserem pedi impugnação é normal. É democracia”. Ele confirma que processou Martini, e explica que teve motivos.

“Eu o processei por falsidade ideológica e o processo está na Polícia Federal e na 36ª zona eleitoral. Tive meus motivos para fazer isso”, garante. Para Braga, o grupo que Martini representa não acrescenta em nada ao partido.

“Ele é de um grupo que quer apenas usar o partido em benefício próprio e por isso fica inventando essas brigas”.

O presidente do diretório regional Lucien Rezende reafirma a opinião de Braga. “Ele não sabe perder, pois no ano passado eu ganhei as eleições da presidência e Martini ficou inconformado e quem tem que impugnar alguma coisa é o diretório nacional”, aponta.

Rezende reitera que a diretoria nacional do partido não está de acordo com esse pedido de impugnação e inclusive virá a Mato Grosso do Sul participar do lançamento da candidatura de Ney Braga na semana que vem.

“Nosso presidente Afrânio Boppré virá ao estado e vamos colocar a campanha nas ruas. Eu não sou louco de registrar uma candidatura sem aval da diretoria nacional. Eles poderiam até cassar meu mandato de presidente regional”.

Enquanto isso, Ney Braga diz que segue sua rotina. “Sou trabalhador então quero mostrar para o povo que um homem comum pode administrar nosso Estado”, garante.

Jornal Midiamax