Geral

Brasilândia: familiares de jovem morto depredam pelotão da PM

Após a morte do jovem Willian Rafael Chiozini Servilha de 19 anos durante uma perseguição policial, familiares e amigos da vítima revoltados depredaram o Pelotão de Polícia Militar da cidade de Brasilândia. Segundo informações da polícia, Servilha, que é filho do proprietário do supermercado Soberano trafegava com uma motocicleta Honda CG Titan de cor vermelha, […]

Arquivo Publicado em 24/03/2010, às 14h30

None

Após a morte do jovem Willian Rafael Chiozini Servilha de 19 anos durante uma perseguição policial, familiares e amigos da vítima revoltados depredaram o Pelotão de Polícia Militar da cidade de Brasilândia.


Segundo informações da polícia, Servilha, que é filho do proprietário do supermercado Soberano trafegava com uma motocicleta Honda CG Titan de cor vermelha, sem placa pela Rua João Abreu de Lima com o farol da moto apagado.


O rapaz que estava com outro jovem na garupa da moto, ao notar a presença da viatura policial, empreendeu fuga dando início a uma perseguição.


Os militares teriam perdido o motociclista de vista e, ao continuar as buscas encontrou a moto caída no chão na Rua Leonildo Dantas, no bairro João Paulo da Silva, após uma colisão contra o veículo Fiat Tipo que era conduzido por Alfredo Neto de Lima.


Lima contou à polícia que o motociclista estava em alta velocidade no momento do acidente. Ele disse que, após a queda, Servilha que exalava forte odor etílico, chegou a ser arrastado no asfalto por alguns metros.


O jovem foi socorrido e encaminhado ao Hospital Júlio Cezar Paulino Maia, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito por volta das 18h45 de ontem.


Revoltados, familiares e amigos do rapaz, tentaram invadir o hospital, a Delegacia de Polícia Civil, depredaram o prédio da PM e até jogaram pedras contra viaturas.


Foi solicitado apoio de 15 policiais militares de Três Lagoas, do Distrito da Debrasa e da Polícia Rodoviária Militar. Durante a confusão, três pessoas chegaram a serem detidas, após depois de serem ouvidas acabaram sendo liberadas.


O corpo de Servilha foi encaminhado ao Instituto Médico e Odontológico Legal (IMOL) de Três Lagoas e em seguida liberado a família. A polícia informou que o rapaz que estava na garupa da moto ainda não foi localizado.


Conforme a polícia, a moto conduzida por Servilha não estava registrada no Detran (Departamento Estadual de Trânsito) do estado.

Jornal Midiamax