Geral

Bovespa tem queda de 1,79% na semana

A bolsa brasileira caiu hoje na esteira do mau desempenho dos índices acionários em Nova York, onde no pior momento da sessão chegaram a ter perdas acima de 3%. Nos EUA, os investidores reduziram o apetite ao risco em razão de desapontamentos com balanços corporativos divulgados ontem após o fechamento e hoje pela manhã e […]

Arquivo Publicado em 16/07/2010, às 19h57

None

A bolsa brasileira caiu hoje na esteira do mau desempenho dos índices acionários em Nova York, onde no pior momento da sessão chegaram a ter perdas acima de 3%.

Nos EUA, os investidores reduziram o apetite ao risco em razão de desapontamentos com balanços corporativos divulgados ontem após o fechamento e hoje pela manhã e com a queda acima da esperada da confiança do consumidor americano.

O Ibovespa, porém, perdeu menos que os índices em Nova York. “A bolsa aqui já caiu mais que lá fora, e por isso consegue esse descolamento agora”, diz Pedro Galdi, analista de investimentos da SLW Corretora. Ele lembra que no ano, enquanto o Ibovespa cai 9,11%, o Dow Jones cede 3,17%.

Com quedas inferiores ao índice e em meio a disputas antes do vencimento de opções sobre ações na segunda-feira, Petrobrás e Vale deram suporte para que o Ibovespa recuasse menos hoje do que os índices de ações norte-americanos.

A bolsa brasileira fechou em queda de 1,81%, aos 62.339,27 pontos. Atingiu a mínima de 62.298,21 pontos, em baixa de 1,88%, e a máxima de 63.492,16 pontos, estável. Na semana, recuou 1,79%, mas no mês ainda sustenta alta de 2,30%. O giro financeiro de R$ 4,240 bilhões. Os dados são preliminares.

Antes de sucumbir ao dado preliminar que apontou a queda da confiança do consumidor americano em julho, o mercado já amanheceu desapontado com os resultados do Google divulgados ontem , após o fechamento: o Google informou lucro líquido no segundo trimestre de US$ 5,71 por ação, abaixo das expectativas dos analistas, que previam ganho de US$ 6,52 por ação.

Hoje, foi a vez de Citigroup, Bank of America e General Electric divulgarem dados que também não agradaram. Embora os balanços tenham revelado lucros acima dos esperados pelos economistas, os dados não foram suficientes para dar fôlego às bolsas americanas porque foram acompanhados de forte quedas de receitas.

O Bank of America divulgou lucro líquido em queda de 3,1%, para US$ 0,27 por ação no segundo trimestre, acima das estimativas de US$ 0,22 por ação. Sua receita, porém, diminuiu 11%, para US$ 29,15 bilhões e ficou abaixo da projeção de US$ 29,75 bilhões.

O Citigroup registrou queda de 37% no lucro líquido, para US$ 0,09 por ação, acima da estimativa de US$ 0,05 de analistas. A receita do banco caiu 33%, para US$ 22,07 bilhões, ante estimativa de US$ 22,16 bilhões.

Já a General Eletric divulgou aumento de 16% do lucro no segundo trimestre, para US$ 0,28 por ação, que superou levemente a expectativa de lucro de US$ 0,27 por ação. Porém, suas receitas caíram 4,3% para US$ 37,44 bilhões,ante previsões de analistas de receitas de US$ 38,38 bilhões.

Nesse cenário, as bolsas aprofundaram perdas quando a Reuters/Universidade de Michigan divulgaram que o índice de sentimento do consumidor preliminar de julho caiu para 66,5, do nível de 76,0 em junho, ante previsões de 75,0 pelos analistas.

O Dow Jones recuou 2,52%, para 10.097,72 pontos; o Nasdaq caiu 3,11%, para 2.179,05 pontos; e o S&P500 desvalorizou-se 2,88%, para 1.064,88 pontos. Na semana, Dow Jones caiu 0,97%; Nasdaq, -0,79%; e S&P500, 1,21x%. Os dados são preliminares.

Jornal Midiamax