Geral

Bovespa cai pressionada por commodities e China

O Ibovespa acentuou perdas no meio da tarde, após as bolsas em Nova York trocarem o sinal para queda em decorrência do tom mais pessimista da ata do Federal Reserve (Fed, banco central americano) em relação à retomada da economia americana divulgada no meio da tarde. No fechamento, Dow Jones e Nasdaq voltaram à alta […]

Arquivo Publicado em 14/07/2010, às 21h49

None

O Ibovespa acentuou perdas no meio da tarde, após as bolsas em Nova York trocarem o sinal para queda em decorrência do tom mais pessimista da ata do Federal Reserve (Fed, banco central americano) em relação à retomada da economia americana divulgada no meio da tarde. No fechamento, Dow Jones e Nasdaq voltaram à alta , mas o S&P permaneceu em queda.

A ata divulgada refere-se à última reunião de política monetária do Comitê de Mercado Aberto do Fed (Fomc) e revelou a possibilidade de que seja necessário mais estímulo do governo, se a economia americana mostrar sinais mais sérios de desaceleração.

Os integrantes do comitê registraram uma piora “relativamente modesta” na perspectiva da economia e concordaram que não era necessária mais acomodação naquele momento, mas notaram que “o Comitê precisaria considerar se mais estímulo econômico poderia tornar-se apropriado se a perspectiva piorasse consideravelmente”.O documento também rebaixa a previsão do PIB de 2010 de 3,5% para 3%.

Como resultado, os contratos dos Fed Funds futuros – uma referência para os juros futuros nos EUA – reduziram mais as expectativas para um aumento na taxa do banco central norte-americano na primeira metade de 2011.

Antes da divulgação da ata, as bolsas americanas vinham em alta leve em meio ao entusiasmo com os resultados dos balanços corporativos já divulgados (Alcoa, Intel). Os investidores minimizaram de certa forma a divulgação de dados econômicos nos Estados Unidos abaixo do esperado e também relevaram momentaneamente a bateria de dados econômicos que a China divulgará hoje (às 23 horas no horário de Brasília) e a espera pelo balanço do banco JPMorgan que será divulgado amanhã.

O Ibovespa, pressionado pelas ações de commodities, fechou em queda de 0,32%, aos 63.479,46 pontos. Atingiu a mínima de 63.014,77 pontos, em queda de 1,05%, e a máxima de 63.687,50, estável. No mês, o ganho foi reduzido para 4,18%; no ano, a perda é de 7,45%. O giro financeiro foi de R$ 4,709 bilhões. Os dados são preliminares.

Vale, mais afetada pelas expectativas com os dados econômicos chineses, registrou desvalorização acima do índice na ação PNA, que caiu 0,65%, para R$ 38,30, enquanto a ON subiu 0,02%, cotada a R$ 44,17. Entre as siderúrgicas, Usiminas esteve entre as maiores baixas do Ibovespa. O papel PNA registrou queda de 3,08%, cotado a R$ 48,85, e o ON caiu 4,12%, para R$ 49,85. Já Petrobrás teve melhor desempenho que o índice, com o papel PN estável, a R$ 27,30, e o ON em alta de 0,32%, a R$ 31,29. Petrobrás e Vale já estariam também sob efeito do vencimento de opções sobre ações na segunda-feira, dia 19.

O Dow Jones subiu 0,04%, aos 10.366,72 pontos; o Nasdaq avançou 0,35%, para 2.249,84 pontos; e o S&P500 recuou 0,02%, para 1.095,17 pontos (dados preliminares).

Jornal Midiamax