Geral

BC eleva para 22% estimativa de crescimento do crédito este ano

O Banco Central (BC) espera maior expansão do crédito este ano. A estimativa para o crescimento do saldo das operações de crédito do sistema financeiro em 2010 subiu de 20% para 22%. Em 12 meses encerrados em agosto, o crédito apresenta expansão de 19,2%. “Esse ajuste da projeção do crédito reflete a incorporação do que […]

Arquivo Publicado em 22/09/2010, às 15h17

None

O Banco Central (BC) espera maior expansão do crédito este ano. A estimativa para o crescimento do saldo das operações de crédito do sistema financeiro em 2010 subiu de 20% para 22%. Em 12 meses encerrados em agosto, o crédito apresenta expansão de 19,2%.


“Esse ajuste da projeção do crédito reflete a incorporação do que vem ocorrendo nos últimos meses – uma elevação mais acentuada no volume de crédito”, afirmou o chefe adjunto do Departamento Econômico do BC, Túlio Maciel. Segundo ele, a expansão do crédito é estimulada pelo aumento da atividade econômica, da renda e do emprego e da avaliação positiva sobre a economia de consumidores e empresários.


Para as pessoas físicas, foi mantida a expectativa de crescimento de 18%, a mesma projeção para as empresas. Anteriormente, a estimativa para as pessoas jurídicas era de 17%.


O crédito direcionado, que são operações com taxas preestabelecidas em normas governamentais, principalmente repassadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), deve crescer 30%, contra 26% previstos anteriormente. No caso do crédito com recursos livres (com taxas de juros livremente pactuadas entre o banco e o cliente), a expectativa de expansão passou de 17% para 18%.


Na previsão do BC, os bancos públicos devem liderar o crescimento do crédito no país, com expansão de 24% este ano, contra 20% previstos anteriormente. Para os bancos privados nacionais, o BC reduziu a projeção de crescimento de 24% para 22%.


O volume de todas as operações de crédito este ano deve representar 48% de tudo o que o país produz, o Produto Interno Bruto (PIB), a mesma projeção anterior.

Jornal Midiamax