Geral

Assessoria de Nelsinho contesta, mas TCU afirma que CGR teve obra parada por “sobrepreço”

Notícia publicada no portal do TCU (Tribunal de Contas da União), no dia 16 de dezembro de 2008, às 15h15 minutos, afirma que naquela data a corte determinou que a prefeitura de Campo Grande suspendesse o pagamento de 2,3 milhões referentes a um contrato firmado com a empresa CGR, Engenharia e Ltda. De acordo com […]

Arquivo Publicado em 17/09/2010, às 23h34

None

Notícia publicada no portal do TCU (Tribunal de Contas da União), no dia 16 de dezembro de 2008, às 15h15 minutos, afirma que naquela data a corte determinou que a prefeitura de Campo Grande suspendesse o pagamento de 2,3 milhões referentes a um contrato firmado com a empresa CGR, Engenharia e Ltda.

De acordo com o publicado, “o TCU constatou indícios de sobrepreço no orçamento da obra, decorrente da prática de preços excessivos frente ao mercado para serviços, insumos e encargos, e também nos valores de Lucros e Despesas Indiretas (LDI). O ministro André de Carvalho foi o relator do processo”.

A CGR é uma das empresas envolvidas no esquema que fraudava licitações públicas, em Dourados. Por conta da operação Uragano, da Polícia Federal, o dono da empresa foi detido junto com 27 pessoas, entre elas o prefeito da cidade, o vice e nove dos 12 vereadores da cidade.

Reportagem do Midiamax narrou a imposição do TCU nesta sexta-feira, mas a assessoria da prefeitura de Campo Grande contestou a informação por meio de uma nota.

No portal da corte, o texto que comenta o caso foi produzido com este título: “TCU constata sobrepreço em terminal de Campo Grande”.

Note dois trechos do relatório que apontou indícios de sobrepreço na obra tocada pela CGR em Campo Grande, empreiteira que irrigou a campanha eleitoral do prefeito Nelsinho Trad, com R$ 600 mil.

“Assim, em cognição sumária, característica da cautelar que ora se cuida, constato que os elementos constantes dos autos ensejam a adoção de medida urgente por este Tribunal, ante a previsão de término do contrato para este mês de dezembro”, escreveu o relator do processo André Luís de Carvalho.

Carvalho cita ainda em seu despacho que o próprio prefeito foi lá em seu gabinete, como narrou no relatório: “registro, em acréscimo, que o Prefeito de Campo Grande, Exmo. Sr. Nelson Trad Filho, esteve em meu Gabinete por duas vezes, demonstrando o interesse em promover o exato cumprimento da lei”.

Leia todo o despacho neste endereço:

http://portal2.tcu.gov.br/portal/page/portal/TCU/imprensa/noticias/repositorio_noticias/TCU%20constata%20sobrepre%C3%A7o%20em%20terminal%20de%20Campo%20Grande

Saiba mais sobre o caso, em notícias relacionadas, logo abaixo


Jornal Midiamax