Geral

Artuzi rompe o silêncio, nega acusações e diz que não tem medo de morrer

O ex-prefeito de Dourados, Ari Artuzi, depois de ficar noventa dias preso por causa de envolvimentos em crimes de corrupção apontados pela Operação Uragano da Polícia Federal rompe o silêncio e diz que não tem medo do futuro

Arquivo Publicado em 15/12/2010, às 12h21

None

O ex-prefeito de Dourados, Ari Artuzi, depois de ficar noventa dias preso por causa de envolvimentos em crimes de corrupção apontados pela Operação Uragano da Polícia Federal rompe o silêncio e diz que não tem medo do futuro

O ex-prefeito de Dourados, Ari Artuzi, depois de ficar noventa dias preso por causa de envolvimentos em crimes de corrupção apontados pela Operação Uragano da Polícia Federal rompe o silêncio e diz que não tem medo do futuro.

A primeira entrevista de Artuzi ao telejornal Bom Dia MS, da TV Morena. Artuzi disse que foi vítima de uma armação engendrada pelo seu ex-secretário de confiança Eleandro Passaia.

Artuzi disse que quer saber na mão de quem Passaia estava. O ex-prefeito que somente foi libertado do Presidio Federal de Campo Grande depois de renunciar ao cargo disse que nunca recebeu ameaça de morte e que não teme ser assassinado.

“Vou continuar morando na cidade. Estou de peito aberto andando nas ruas”, disse o ex-prefeito que em menos de dez minutos de entrevista não fez nenhum contra-ataque a seus possíveis adversários. Artuzi não citou nomes de quem teria feito a suposta armação em cima dele.

O ex-prefeito garantiu que o vídeo em que ele recebe R$ 10 mil reais revela apenas o recebimento do dinheiro da venda de um terreno. Artuzi disse também que os outros R$ 10 mil que sua esposa Maria Aparecida de Freitas recebia no vídeo eram referentes a outra parcela da venda do tal terreno.

Na entrevista dada à TV Morena, Ari Artuzi disse que a cidade de Dourados está acabada dando a entender que os buracos nas ruas e a situação política da cidade não é resultado da sua prisão e muito menos da Operação Uragano.

Jornal Midiamax