Geral

Agrotóxico provoca desastre ambiental no Assentamento Itamarati

Apicultores do Assentamento Itamarati já perderam quase 40 caixas de criação de abelhas por conta da aplicação de forma desordenada e involuntária de agrotóxicos à base de Fipronil em uma área de plantio, no pivô A-15, próximo ao córrego Lajeado, na comunidade Monte Rico (Fetagri) do Itamarati I, em Ponta Porã. Segundo os prejudicados, o […]

Arquivo Publicado em 16/12/2010, às 17h27

None

Apicultores do Assentamento Itamarati já perderam quase 40 caixas de criação de abelhas por conta da aplicação de forma desordenada e involuntária de agrotóxicos à base de Fipronil em uma área de plantio, no pivô A-15, próximo ao córrego Lajeado, na comunidade Monte Rico (Fetagri) do Itamarati I, em Ponta Porã.

Segundo os prejudicados, o prejuízo gira em torno de R$ 10 mil. Além disso, os apicultores vão demorar cerca de um ano para recompor seus enxames para produção de mel, que já é comercializado na região. O Fipronil é um veneno de ação lenta.

Quando misturado a uma isca, ele faz com que o inseto retorne à sua colônia e infecte os demais membros com uma taxa de sucesso de 95% em três dias para formigas e baratas. O uso de iscas tóxicas também se mostrou efetivo contra as vespas, são benéficas, como as abelhas.

O defensivo agrícola utilizado no plantio direto, passou a ser visto como ferramenta. Quando bem utilizado pode ser um grande aliado do agricultor, assim como qualquer outro produto químico. Embora considerado ferramenta de valor para a humanidade, exige responsabilidade e conhecimento para seu emprego e exige acompanhamento de um agrônomo.

Jornal Midiamax