Geral

70 mil visitantes devem ir aos cemitérios nesta terça-feira

Dia dos Finados deve atrair 70 mil pessoas

Arquivo Publicado em 01/11/2010, às 20h37

None

Dia dos Finados deve atrair 70 mil pessoas

Muitos túmulos já estão recebendo a visita de parentes na véspera do Dia dos Finados. Os amigos e parentes chegaram cedo para acender velas para aqueles que já partiram.

Ao menos 70 mil pessoas devem ir amanhã, nos três cemitérios: Santo Antonio, Santo Amaro e Cruzeiro.

As barracas com 100 ambulantes já estão prontas para as pessoas comprar flores e velas. O administrador dos cemitérios, Licínio Martins, disse que a chuva tem atrapalhado um pouco os ambulantes.

“As visitas começaram desde a semana passada. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente, está orientando as pessoas. Está disponibilizados dois computadores para fazer a consulta. Basta passar o nome da pessoa falecida que será divulgado o lote e a quadra do tumulo. Amanhã (02), no Dia dos Finados, haverá missa e culto evangélico no período nos três cemitérios”.

Onildo Tavares, de 66 anos, foi até o Cemitério Memorial Park para visitar o tumulo do filho que morreu em um acidente de transito há mais de 15 anos.

“Resolvi comprar as flores agora pela manhã, amanhã é muito cheio. Queria ter vindo ontem mas a chuva atrapalhou. Venho aqui compro uma flor com os ambulantes, acendo uma vela, choro bastante por causa das saudades. Para mim é um compromisso. Venho várias vezes no ano, mas amanhã isso aqui vai estar lotado”.

O gerente Paulo Maglio, do cemitério Memorial, disse que a chuva está atrapalhando os vendedores ambulantes.

“Nesse cemitério temos políticos, juizes, atores que eram do Rio de Janeiro. São várias pessoas que passam por aqui. A área é de 6 hectares e já foram sepultados cerca de 9 mil pessoas. A estimativa para o Dia dos Finados é de 30 mil visitações. Hoje tem poucos vendedores de vela e de flores, mas amanhã teremos um fluxo maior de ambulantes e visitantes”.

Vendas

Os preços das flores variam de R$ 1 a R$ 35. O pedreiro Jairo de Oliveira, de 44 anos, aproveitou a folga para ganhar um dinheiro extra com as vendas. “Cheguei aqui, armei a minha barraca e estou esperando a clientela chegar. Trouxe flores natural e artificial. Vou dormir aqui e ficar preparado para amanhã.

A artesã Marlei Oliveira, de 29 anos, teve a ajuda da mãe Marli Oliveira, de 49 anos, para confeccionar 400 vasos de flores artificiais. Levei um mês para fazer todas as flores. “ Já ganhamos R$ 60 de lucro”.

Jornal Midiamax