Geral

62% dos cidadãos votariam mesmo que não fosse obrigatório

Em recente pesquisa realizada pelo DataSenado, 62% dos 1.315 entrevistados afirmaram que votariam nas eleições de outubro mesmo que o voto não fosse obrigatório no país. Os entrevistados com 60 anos ou mais apresentam o mais alto percentual: 75% deles exerceriam o direito ao voto nas próximas eleições mesmo que a legislação não os obrigasse. […]

Arquivo Publicado em 10/09/2010, às 19h14

None

Em recente pesquisa realizada pelo DataSenado, 62% dos 1.315 entrevistados afirmaram que votariam nas eleições de outubro mesmo que o voto não fosse obrigatório no país. Os entrevistados com 60 anos ou mais apresentam o mais alto percentual: 75% deles exerceriam o direito ao voto nas próximas eleições mesmo que a legislação não os obrigasse. Enquanto isso, apenas 55% dos jovens entre 16 e 19 anos iriam às urnas se o voto fosse facultativo.


A pesquisa mostra também resultado da mesma questão divido por regiões. A Região Sul apresenta maior porcentagem de eleitores afirmando que votariam mesmo não sendo obrigados a isso (68%), seguida das Regiões Centro-Oeste (64%), Sudeste (62%), Nordeste (59%) e Norte (57%). Os que não votariam se o voto fosse facultativo são 37% do total de entrevistados e, na Região Norte, 43% não iriam às urnas, maior percentual entre as regiões brasileiras.


Financiamento de campanhas


O DataSenado também perguntou aos entrevistados sua opinião sobre os tipos de financiamento de campanhas políticas. A maioria não concorda com o financiamento público de campanhas: 49% opinaram que as campanhas devem ser financiadas apenas com dinheiro privado (pessoas e empresas), 21% apenas com dinheiro público, 16% apontaram o financiamento misto (público e privado) como preferível. 13% não souberam ou não quiseram opinar.


Ficha limpa


Na mesma pesquisa, 88% dos entrevistados disseram que a corrupção é inaceitável mesmo que o político tenha feito um bom governo. Embora individualmente se considerem atentos ao histórico e à atuação dos candidatos, a maioria dos ouvidos não acredita que a população como um todo esteja preocupada com isso, nem que leve em consideração a vida pregressa dos candidatos na hora de decidir o voto.


Enquanto 88% dos entrevistados afirmaram que não votariam em candidatos condenados pela Justiça, mesmo se a Lei da Ficha Limpa não existisse, 64% dos respondentes acreditam que a maior parte da população brasileira não teria esse cuidado e seria capaz de votar em candidatos “ficha suja”.


Reeleição


Já sobre o instituto da reeleição, 66% dos participantes da pesquisa apoiaram o direito dos políticos se reelegerem e 20% se declararam contrários à ideia. Destes, 48% disseram ser contra uma nova eleição dos candidatos que já ocupam mandatos por acreditarem que é preciso haver maior alternância no poder.


As pesquisas do DataSenado são feitas por meio de entrevistas telefônicas, o levantamento é feito por amostragem e a população considerada é a de pessoas com 16 anos ou mais, residentes no Brasil e com acesso a telefone fixo. Foram entrevistados 1.315 cidadãos de 119 municípios de todas as regiões, incluídas todas as capitais. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos, o chamado nível de confiança é de 95%. Os dados foram coletados de 12 a 24 de agosto de 2010 e o DataSenado foi auxiliado por entrevistadores do Alô Senado.

Jornal Midiamax