Geral

Suspensão de assentamento na Teijin favorece conflito, diz Incra

O superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Celso Cestari, disse há pouco ao Midiamaxnews que a suspensão da desapropriação da fazenda Teijin “fomenta um futuro conflito agrário”, pois a região onde ocorreria o assentamento de 700 famílias está próxima ao Pontal do Paranapanema, região de confronto dos sem-terra. O Ministério Público […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

O superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Celso Cestari, disse há pouco ao Midiamaxnews que a suspensão da desapropriação da fazenda Teijin “fomenta um futuro conflito agrário”, pois a região onde ocorreria o assentamento de 700 famílias está próxima ao Pontal do Paranapanema, região de confronto dos sem-terra. O Ministério Público Federal obteve a suspensão na Justiça, alegando que a área de 28 mil hectares, no município de Nova Andradina, não serve para reforma agrária.

Cestari garante que a terra é boa para assentamento. “Do outro lado da rodovia, temos o projeto Casa Verde, implantado há 13 anos, um modelo para o Estado com produção de 38 mil litros de leite por dia”, afirmou superintendente. Segundo ele, a qualidade da terra é a mesma da fazenda Teijin.

O fato de técnicos, do próprio Incra, não terem recomendado o assentamento faz parte, segundo o superintendente, de uma estratégia de defesa dos proprietários da fazenda, os quais usaram apenas uma análise preliminar do órgão. O Incra deve recorrer ao Tribunal Regional Federal para continuar com a desapropriação.

Jornal Midiamax