Geral

Roberto Razuk será interrogado novamente nesta sexta-feira

O ex-deputado estadual Roberto Razuk (PDT), que está preso há 18 dias em Dourados, será interrogado hoje novamente devido a um acréscimo na denúncia realizada pelo Ministério Público Federal. De acordo com o advogado Ricardo Trad, que trata do caso, o órgão alega que Razuk teria destinado os R$ 3,5 milhões derivados de empréstimo junto […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

O ex-deputado estadual Roberto Razuk (PDT), que está preso há 18 dias em Dourados, será interrogado hoje novamente devido a um acréscimo na denúncia realizada pelo Ministério Público Federal.

De acordo com o advogado Ricardo Trad, que trata do caso, o órgão alega que Razuk teria destinado os R$ 3,5 milhões derivados de empréstimo junto ao Banco do Brasil para fins não declarados. Ou seja: ao invés de usar a verba para reforço de capital de giro, o MPF alega que o ex-deputado usou o dinheiro para “fins diversos”.

O político e empresário está sendo acusado de crime contra o Sistema Financeiro Nacional. O MPF afirma que a fazenda Nabileque, em Ladário, registrada como garantia do empréstimo, é inexistente.

TESTEMUNHAS – Trad explicou que as testemunhas de acusação estão fazendo declarações através de cartas precatórias, já que a maioria não mora em Campo Grande. Ao todo são 5 testemunhas de acusação e 7 de defesa. As audiências estão marcadas para dia 30 de agosto em Dourados, 2 de setembro em Campo Grande e 5 de setembro em Corumbá.

HABEAS – O pedido de habeas-corpus de Razuk deve ser julgado na semana que vem, segundo Ricardo Trad. O processo está na Procuradoria da República, aguardando parecer. Em seguida ele será enviado para o TRF (Tribunal Regional Federal), 3º região (São Paulo), onde Trad terá 15 minutos para sustentar sua defesa.

“Estou muito otimista, porque temos tudo para conseguir provar que a fazenda de Ladário, que o Banco do Brasil alega não ser do Roberto Razuk, existe e é mesmo dele”, avaliou o advogado.

Jornal Midiamax