Geral

Produtor de algodão tem até sexta para destruir restos da lavoura

O prazo para que os produtores destruam os restos da colheita de algodão termina nesta sexta-feira, com exceção das propriedades do Alto Taquari. Na região que compreende os municípios de Sonora, Alcinópolis, Cassilândia, Água Clara, Pedro Gomes, Coxim, Rio Verde, São Gabriel do Oeste, Camapuã, Costa Rica e Chapadão do Sul, o prazo para destruição […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

O prazo para que os produtores destruam os restos da colheita de algodão termina nesta sexta-feira, com exceção das propriedades do Alto Taquari. Na região que compreende os municípios de Sonora, Alcinópolis, Cassilândia, Água Clara, Pedro Gomes, Coxim, Rio Verde, São Gabriel do Oeste, Camapuã, Costa Rica e Chapadão do Sul, o prazo para destruição vai até 31 de agosto.

Pelas normas previstas pela Agência Estadual de Defesa Sanitária e Animal (Iagro), o produtor tem prazo de até 15 dias após a colheita para adotar o procedimento. Caso contrário, o órgão notifica os infratores e encaminha a documentação para a Promotoria Pública do Estado, que pode penalizar o cotonicultor por violação da lei prevista no artigo 259 do Código Penal.

Além disso o produtor de algodão pode perder os incentivos fiscais dados pelo Governo do Estado. Mais informações devem ser obtidas pelo telefone 346-2788.

Jornal Midiamax