Geral

Preço do gás de cozinha ainda não teve queda em Campo Grande

Na semana passada, mais precisamente no dia 06 de agosto, o ministro de Minas e Energia, Francisco Gomide, disse que a adoção de um possível preço máximo para o gás de cozinha seria um critério da Agência Nacional de Petróleo (ANP). “Se isso for suficiente, dentro de uns dez dias a gente poderá ter uma […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

Na semana passada, mais precisamente no dia 06 de agosto, o ministro de Minas e Energia, Francisco Gomide, disse que a adoção de um possível preço máximo para o gás de cozinha seria um critério da Agência Nacional de Petróleo (ANP).

“Se isso for suficiente, dentro de uns dez dias a gente poderá ter uma avaliação realista do impacto dessa resolução. Se não bastarem (os alertas), teremos autorização de fixar preços máximos”, afirmou o ministro.

Já se passaram sete dias, e em Campo Grande não se registrou nenhuma queda. A ANP divulgou hoje os preços praticados na Capital, a pesquisa foi realizada entre os dias 04 e 10 de agosto, em 123 estabelecimentos.

O preço médio do gás de cozinha, de 13 kg, é de R$ 30,83 – R$ 0,36 mais caro que a pesquisa realizada entre os dias 28 de julho e 03 de agosto. O preço mínimo é de R$ 25,00, e o preço máximo de R$ 35,50 – R$ 1,00 e R$ 1,10 mais caros, respectivamente.

Jornal Midiamax