Geral

Pais debatem “Lei do Menor Aprendiz” em Campo Grande

Na última terça-feira, cerca de 500 pais de adolescentes do Instituto Mirim de Campo Grande participaram de uma reunião para discutir a “Lei do Menor Aprendiz”. A reunião teve como objetivo conscientizar os pais sobre as mudanças na atuação da instituição. Um dos pontos importantes foi mostrar a importância do jovem estar sempre se qualificando […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

Na última terça-feira, cerca de 500 pais de adolescentes do Instituto Mirim de Campo Grande participaram de uma reunião para discutir a “Lei do Menor Aprendiz”. A reunião teve como objetivo conscientizar os pais sobre as mudanças na atuação da instituição. Um dos pontos importantes foi mostrar a importância do jovem estar sempre se qualificando para o mercado de trabalho que esta cada vez mais exigente. O Contrato de Aprendizagem é ajustado por escrito e por prazo determinado, onde o empregador se compromete a assegurar ao maior de 14 e menor de 18 anos, uma formação-técnico profissional metódica. O Instituto Mirim está devidamente habilitado a realizar os cursos de formação. Os menores cumprem duas horas de curso e utilizam as técnicas transmitidas pelo Instituto na empresa onde foram empregados. O trabalho e o curso não podem ultrapassar o limite de seis horas diárias, para que não prejudique o horário e o aproveitamento escolar. A Lei foi criada para garantir que o jovem aprenda uma profissão e não apenas preste um serviço.

Jornal Midiamax