Geral

MS registra déficit de US$ 93,5 milhões na balança comercial

As importações aumentaram 140% com a compra do gás boliviano (foto) e de turbinas para termelétricas

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

As importações aumentaram 140% com a compra do gás boliviano (foto) e de turbinas para termelétricas

Mato Grosso do Sul registrou, no primeiro quadrimestre deste ano, um déficit de US$ 93,5 milhões em sua balança comercial. Exportou US$ 97,5 milhões (24% a menos em relação ao mesmo período do ano passado) e importou US$ 191 milhões (140% a mais). A explicação para tal performance tem muito haver com o gasoduto Bolívia-Brasil e com os projetos de construção de termelétricas no Estado.

O gás boliviano consumido no País é totalmente importado por Corumbá, pelo escritório da Petrobrás, na fronteira com a Bolívia. Representou uma compra de US$ 111,5 milhões de janeiro a abril deste ano, como aponta relatório divulgado ontem pelo Ministério de Desenvolvimento, da Indústria e do Comércio. Essa quantia é 84,96% maior em relação ao quadrimestre de 2001. Mas, não é só. As importações de turbinas para termelétricas de Corumbá e Três Lagoas acrescentam mais US$ 34,2 milhões ao volume de compra, o que colaborou para o déficit.

No ano passado, Mato Grosso do Sul teve um aumento recorde de 87,1% nas exportações. Fechou 2001 com saldo positivo de US$ 192,1 milhões em sua balança comercial. Vendeu quase meio milhão de dólares em produtos. Agora, neste quadrimestre, registra uma redução de 64,9% na venda de soja ao mercado externo. O Estado passou a exportar principalmente pedaços de frangos (aumento de 42%), e seus principais compradores são a Alemanha e o Japão. Durante a edição de hoje do Jornal Midiamaxnews, os números serão comentados por especialistas no setor.

Jornal Midiamax