Geral

Juti: Perícia diz que duas armas foram disparadas na briga

A perícia efetuada na cena do crime que tirou a vida do prefeito de Juti, Donizette da Costa (PMDB), na segunda-feira, concluiu que dois revólveres foram usados durante o confronto. Segundo o delegado Joel José da Silva, além da arma usada para matar Donizette, que supostamente teria sido acionada pelo ex-vereador José Carlos Morales, e […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

A perícia efetuada na cena do crime que tirou a vida do prefeito de Juti, Donizette da Costa (PMDB), na segunda-feira, concluiu que dois revólveres foram usados durante o confronto.

Segundo o delegado Joel José da Silva, além da arma usada para matar Donizette, que supostamente teria sido acionada pelo ex-vereador José Carlos Morales, e da pistola calibre 380, que pertencia ao prefeito e foi encontrada ao lado do corpo, há ainda uma terceira arma: “Marcas de bala nas paredes e no forro da sala comprovam que duas armas foram disparadas”, disse.

Para o delegado, o caso só será esclarecido com a prisão de José Carlos Morales e dos dois outros homens que teriam ajudado o prefeito na briga. Tanto a principal testemunha do caso, Luciano de Almeida, funcionário do Cartório de Registro de Imóveis da cidade, quanto casal Antônio e Elizabeth Andrietta, preso acusado de participar do crime, afirmam que os dois homens estavam encapuzados e entraram na casa com pedaços de pau nas mãos.

Jornal Midiamax