Geral

Ciro diz que não se parece com Collor e não governará sob pressão

O candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PPS), respondeu hoje, por uma hora e 50 minutos, a perguntas feitas por jornalistas e leitores da Folha de São Paulo na segunda sabatina realizada pelo jornal com os principais candidatos à Presidência. Ciro disse que não governará “sob a pressão dos mercados” e que os bancos […]

Arquivo Publicado em 01/01/2000, às 12h00

None

O candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PPS), respondeu hoje, por uma hora e 50 minutos, a perguntas feitas por jornalistas e leitores da Folha de São Paulo na segunda sabatina realizada pelo jornal com os principais candidatos à Presidência.

Ciro disse que não governará “sob a pressão dos mercados” e que os bancos têm culpa na crise do câmbio. “Você pode serrar o meu braço que eles (mercado, Bolsa etc.) não vão me domesticar”, disse.
Mas afirmou que o valor da moeda norte-americana irá cair a partir do dia 15, após o vencimento de dívidas de algumas empresas, que estariam criando uma crise de demanda no país.

Sobre o apoio público que vem recebendo de Fernando Collor, Ciro lamentou, reafirmando que não votou nele nas eleições presidenciais de 1989. “Lutei contra o Collor no primeiro turno quando votei em Mário Covas, e no segundo turno, quando votei em Lula.” Disse também que as únicas coisas em comum entre os dois são serem jovens e terem histórico na política do Nordeste.

Ciro Gomes foi o segundo presidenciável a ser sabatinado pela Folha. Ontem foi a vez de Luiz Inácio Lula da Silva. O ciclo segue na quinta-feira, com Anthony Garotinho, e na sexta, com José Serra. O evento acontece no Teatro Folha, no shopping Higienópolis, em São Paulo.

Jornal Midiamax