Judocas de MS voltam para casa com dois bronzes de Grand Prix inédito no Brasil

Judocas integraram a seleção brasileira, que terminou em 1º no quadro de medalhas
| 05/07/2022
- 15:16
judocas de ms michele ferreira e benilce de araujo
Michele e Benilce (Fotos: Divulgação e Divulgação| Ismac)

As judocas de Mato Grosso do Sul, Benilce Araújo e Michele Ferreira, voltaram para com uma medalha de bronze cada, conquistadas no Grand Prix de São Paulo — evento inédito no Brasil, no último fim de semana.

A seleção brasileira ficou em 1º no quadro de medalhas e conquistou o título do IBSA Grand Prix de . O torneio que reuniu 77 judocas de 21 países no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, na capital paulista.

O Brasil estreou no sábado (2) com oito medalhas e mantiveram o excelente desempenho, ganhando mais nove no segundo dia de competição. Foram 17 medalhas, sendo seis de ouro, três de prata e oito de bronze.

O Cazaquistão, segundo colocado, somou sete ao todo (dois ouros, uma prata e quatro bronzes). A Argélia foi a terceira, com quatro (dois ouros, uma prata e um bronze).

selecao brasileira de judo paralimpico divulgacao - Judocas de MS voltam para casa com dois bronzes de Grand Prix inédito no Brasil
(Foto: Tuane Fernandes/ CBDV)

O Brasil já havia ganhado as duas etapas anteriores do circuito da IBSA (sigla em inglês para Federação Internacional de Esportes para Cegos), na Turquia e no Cazaquistão. O foco agora será o Mundial de Baku, no Azerbaijão, de 7 a 9 de novembro.

Conheça as judocas de MS

Benilce compete na categoria 57 kg, na classe J1 - de cegos totais ou com percepção de luz, mas sem reconhecer o formato de uma mão a qualquer distância. Ela faz parte do Ismac (Instituto Sul Matogrossense para Cegos Florivaldo Vargas)

Ela, que é natural de Mato Grosso, mas leva MS no coração, disputou sua primeira competição internacional pela Seleção.

Já Michele Ferreira luta na categoria 70 kg, classe J2 - de judocas que conseguem definir imagens. A medalhista paraolímpica integra a AJCS (Associação de Judô Caminho Suave), também de Campo Grande.

Duas vezes medalhista paralímpica (bronze em Pequim 2008 e Londres 2012), a sul-mato-grossense voltou à Seleção ainda se readaptando às mudanças de regras da modalidade que entraram em vigor este ano. Ela retornou às competições após o rompimento do ligamento do joelho.

Veja também

Existem adversários que são verdadeiras pedras no sapato. E Jelena Ostapenko é o tipo de...

Últimas notícias