Jovens de MS garantem vaga no acesso aos Jogos Parapan-americanos de Bogotá

Atletas vão participar da Copa Brasil e podem garantir vaga na seleção brasileira
| 31/05/2022
- 16:34
vaga bocha paralímpica
Ana e Kawandry (Foto: Divulgação/Ativa)

Dois paratletas de MS garantiram vagas para a Copa Brasil de Jovens de Bocha Paralímpica, que dá acesso aos Jogos Parapan-americanos da de Bogotá, na Colômbia, que acontece em novembro deste ano.

Ana Vitória Ribeiro, Kawandry José Rodrigues, do clube Ativa, participaram do 1º Campeonato Brasileiro de Bocha Paralímpica de Jovens, que aconteceu entre 24 e 28 de maio, no Paraná. Os primeiros três colocadores em cada categoria/classe garantiam as vagas para a Copa.

Ana ficou em 1º lugar na classe BC3 feminino, Kawandry terminou em 2º na BC1 masculino e o Ativa consagrou o ouro na categoria de clubes. A classificatória foi o primeiro passo para os atletas disputarem uma das vagas da Seleção Brasileira de Bocha Paralímpica, que vai disputar os jogos do Parapan.

“A gente trazer jovens que estão representando o nosso Estado, a nossa associação, não é fácil. Todo mundo que trabalha com a bocha sabe a dificuldade que é. Para nós é maravilhoso esse resultado, que é de muito trabalho da equipe, presidência, é um trabalho coletivo”, comentou Adriana Bringel, técnica da Ativa.

Atletas lutando pela vaga

O campeonato reuniu mais de 40 atletas de 15 estados brasileiros. “Foi um evento nota dez com louvor. Os melhores atletas do Brasil, entre 13 e 20 anos, mostraram um clima de harmonia, amizade do lado de fora da quadra e competição de alto nível”, resume Baideck, diretor técnico da Ande (Associação Nacional de Desporto para Deficientes).

Além da entrega de medalhas para os três primeiros lugares, a competição também premiou com troféus os clubes dos atletas com maior número de vitórias.

Sonho olímpico

Ao todo, 24 atletas seguem para a Copa Brasil e podem ser convocados para a Seleção Brasileira de Bocha Paralímpica. Os atletas convocados receberão semanas de treinamento do Comitê Paralímpico Brasileiro no Centro de Treinamento em São Paulo, com custos cobertos pela Ande e Comitê, tanto para atletas quanto acompanhantes.

O treinamento continua na cidade de origem do atleta com acompanhamento virtual. Dependendo do desempenho nas competições por meio da seleção brasileira, os jovens podem pleitear bolsas internacionais, nacionais e estaduais.

O Brasil é considerado um celeiro na formação de atletas paralímpicos na modalidade da bocha. Em todas as categorias/classes está entre os três primeiros no ranking mundial.

Classificação geral

Feminino

BC1

  • 1º lugar: Beatriz Chagas – SC
  • 2º lugar: Daniela Zinke – SC
  • 3º lugar: Luana Caldas – SP

BC2

  • 1º lugar: Bruna Dondé – RS
  • 2º lugar: Isabella Silveira – DF
  • 3º lugar: Ana Vitória Rocha – MG

BC3

  • 1º lugar: Ana Vitória Ribeiro – MS
  • 2º lugar: Sara Vitória Dias – RN
  • 3º lugar: Nataxa Andrade – SP

BC4

  • 1º lugar: Laissa Guerreira - PB
  • 2º lugar: Débora Correia – DF
  • 3º lugar: Joice Lira - PA

Masculino

BC1

  • 1º lugar: Caio Henrique Martins – SP
  • 2º lugar: Kawandry José Rodrigues – MS
  • 3º lugar: Igor Baroboskin – DF

BC2

  • 1º lugar: Kaun Almeida - RO
  • 2º lugar: Eduardo Vasconcelos – DF
  • 3º lugar: Miguel Nunes – SP

BC3

  • 1º lugar: Lucas Dutra – RJ
  • 2º lugar: Ricardo Campos - AC
  • 3º lugar: Andrei Silva - PE

BC4

  • 1º lugar: André Martins Costa – SP
  • 2º lugar: Deivis Rufino – PB
  • 3º lugar: Hiudy Barros – ES

Clubes

  • 1º lugar: Ativa – MS
  • 2º lugar: Associação Desportiva para Deficientes (ADD) – SP
  • 3º lugar: Rondônia Clube Paralímpico (RCP) – RO

Veja também

O Guarani perdeu mais um duelo direto contra a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro...

Últimas notícias