Esportes

Centro de Referência Paralímpico Brasileiro será implantado em Campo Grande

Campo Grande será uma das 15 cidades brasileiras que terão o Centro.

Dândara Genelhú Publicado em 08/06/2021, às 14h41

None
Foto: Reprodução | Fundesporte.

Campo Grande deve receber Centro de Referência Paralímpico Brasileiro, que será implantado pela Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer) em parceria e sob orientação do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). O acordo de cooperação possui vigência até 2024 e já foi assinado.

A unidade que possui pólos, vai fomentar a prática de modalidades paradesportivas, da base ao treinamento de alto rendimento, atendendo a atletas da capital e interior. As atividades devem iniciar ainda este ano, a depender do cenário pandêmico da Covid-19.

Assim, a vistoria técnica será realizada nos dias 21 e 22 de junho, pelo supervisor de Centros de Referência do CPB, Filipe Lopes Barboza. O polo um será instalado no Centro Esportivo Mamed Assem José, o Poliesportivo da Vila Almeida.

No início, o polo deve trabalhar com atletas de parabadminton e goalball. Já o segundo ficará na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Na universidade já é desenvolvido o projeto de extensão “Incluir pelo Esporte” pela Coordenadoria de Cultura e Esporte (CCE/Proece), com cooperação da Fundesporte.

Nas dependências da instituição de ensino federal já são desenvolvidas as modalidades bocha adaptada, paratletismo e paranatação, com supervisão de professores e acadêmicos do curso de Educação Física. Com o Centro, os atletas passam a ter orientação técnica, incremento de equipamentos e materiais.

Campo Grande será uma das 15 cidades brasileiras que terão o Centro. A Fundesporte será responsável, entre outras obrigações, pela contratação de profissionais de Educação Física para atuar nos treinamentos no Poliesportivo da Vila Almeida, manutenção de equipamentos e adequação de instalações físicas.

Além de implementar a metodologia de trabalho, o CPB é encarregado de indicar e orientar o coordenador técnico quanto ao planejamento estratégico das modalidades. Além de acompanhar o desempenho dos Centros por meio de visitas e relatórios mensais, traçando estratégias para o melhor desenvolvimento das atividades. Ele também vai capacitar profissionais e acadêmicos de Educação Física indicados pela Fundesporte por meio de cursos multidisciplinares à distância e presenciais e disponibilizar equipamentos para o fomento dos treinos.

Por fim, os Centros também devem catalogar informações e dados de relevância para o avanço de pesquisas científicas nas áreas de Educação Física, Nutrição, Fisioterapia, Medicina e Psicologia. A produção científica será feita pela UFMS.

Jornal Midiamax