Esportes

Time de amputados de Campo Grande está na série A da Copa do Brasil de Futebol

A equipe do Pantanal Esporte Clube, único time de futebol para amputados de Campo Grande, participará no próximo dia 21 de abril da Copa do Brasil de Futebol Para Amputados de 2019. Mas mesmo com treinos 3 vezes por semana, atletas empenhados e perseverantes, os 13 atletas e comissão técnica ainda buscam o transporte para […]

Carlos Yukio Publicado em 04/04/2019, às 10h44 - Atualizado às 11h13

None
Time de Futebol de Amputados Pantanal Esporte Clube faz parte da série A nacional do esporte

A equipe do Pantanal Esporte Clube, único time de futebol para amputados de Campo Grande, participará no próximo dia 21 de abril da Copa do Brasil de Futebol Para Amputados de 2019. Mas mesmo com treinos 3 vezes por semana, atletas empenhados e perseverantes, os 13 atletas e comissão técnica ainda buscam o transporte para representar o Mato Grosso do Sul na série A, primeira divisão do campeonato nacional.

O técnico do time, o professor de educação física Juarez Godoy Loureiro Júnior, conta que o time começou com três atletas que tiveram a iniciativa de montar um time de futebol para amputados, e cada vez mais atletas foram aparecendo até chegar o número de treze que se tem hoje. Um deles era o próprio filho, Patrick, que fez o convite para o pai ser o treinador da equipe.

“Na hora eu falei: ‘será uma grande honra pra mim, uma maravilha. Era isso que eu estava esperando, só você convidar’. E assim a gente começou. Não recebemos nada para participar do projeto, é tudo voluntário”, ressalvou o técnico.

O atleta José Luiz Cramonisch, conhecido como “Júnior”, foi um dos três amigos que migrou do atletismo para o futebol para resgatar a paixão pelo esporte. No início do ano passado, em 18 de fevereiro, decidiu montar um grupo no Whatsapp, a princípio como brincadeira entre amigos, e com apenas 6 atletas.

“Mesmo antes, jogava bola direto com essa paixão que a gente tem pelo futebol. Depois do acidente, procurei um esporte e encontrei o atletismo onde tive várias vitórias e conquistas, mas a minha paixão mesmo era jogar futebol. Quem quisre conhecer, só entrar em contato conosco que estaremos à disposição para mostrar nosso projeto” afirmou o atleta.

Estreia com o pé direito

Em 2018, o time embarcou para São Paulo onde participaram de um quadrangular para conhecer outros times de outras regiões, e acabaram vencendo três partidas e perdendo apenas uma, o que deu esperanças de que o time tinha futuro. Retornando a Campo Grande, o Pantanal Esporte Clube não tinha um campo próprio e os atletas continuaram treinando em quadras alugadas.

Após os treinos, no mesmo ano, a equipe participou da série B do Campeonato Brasileiro da categoria, em Sorocaba no interior de SP. Com apoio da fundesporte e do governo do Estado, o Pantanal Esporte Clube venceu 7 das 8 equipes do Brasil todo que participavam da competição, chegando a final sem perde um jogo sequer.

Posted by Pantanal Esporte Clube/MS on Sunday, February 3, 2019

Na final do campeonato, após a expulsão de um atleta, a equipe acabou defasada e o jogo levado para os pênaltis após um 2×2. A atuação rendeu até possíveis convocações de 2 atletas, Júnior e Patrick, para defender a seleção Brasileira de Amputados em campeonatos internacionais, como conquistou o bronze conquistado na Copa do Mundo no México.

A Regra é Clara

Assistindo ao treino e ao amistoso disputados contra o time feminino amador “Juntas e Misturadas”, pode-se perceber que a modalidade requer muita força física para manter o equilíbrio entre a perna e as muletas, principalmente durante tiros de corrida, chutes e passes.

Os jogos são disputados em campo society, com dimensões mínimas de 60mX38m e cada equipe tem sete jogadores: O goleiro é amputado ou deficiente de um dos braços e os atletas de linha são amputados ou deficientes de uma das pernas. Os atletas não podem tocar na bola de forma intencional nem com a perna ou braço amputado, e nem com as muletas.

As partidas são divididas em dois tempos de 25 minutos com intervalo de 10 minutos e os técnicos podem pedir um tempo de um minuto para orientar seus atletas a cada etapa da partida.

O goleiro não pode sair da área, se sair, por qualquer motivo (com a bola rolando) ele receberá a advertência com cartão amarelo e o lateral deve cobrado com o pé. Não há limite para substituições e os jogadores substituídos podem voltar ao jogo sem necessidade de parar o tempo, com a exceção do goleiro, que precisa que o cronômetro seja parado para ser substituído.

Os 13 melhores

Posted by Pantanal Esporte Clube/MS on Saturday, February 2, 2019

Com o 2º lugar na série B, a equipe ganhou uma vaga na série A, principal do país com times profissionais como Corinthians, São Paulo e Palmeiras, nas principais competições nacionais como o Campeonato Brasileiro de Futebol de Amputados e a Copa do Brasil. “Iremos representar não só nossa cidade, Campo Grande, mas também nosso Estado de Mato Grosso do Sul. Estamos muito animados e treinando bastante. Mas estamos com um déficit no transporte para a viagem que acontece em duas semanas”, conta o treinador.

“Aproveitamos a oportunidade para pedir ao governador Reinaldo Azambuja e o presidente da Fundesporte Marcelo Miranda para que pensem com carinho ao nosso respeito para resolver a situação do transporte do dia 17 a 21 de abril. Alimentação, hospedagem e outros gastos, nós damos um jeito”, ressaltou o técnico Juarez Godoy Loureiro Júnior.

Serviço

O time treina três vezes por semana (segunda, quarta e sexta), voluntariamente, e faz amistoso contra times femininos amadores para manter o ritmo. Os treinos acontecem às 19h no campo de futebol no conjunto Bonança, localizado na Av. Prefeito Lúdio Martins Coelho. Mais informações você encontra na página do Pantanal Esporte Clube no Facebook ou pelo telefone 67 99229 5912.

Jornal Midiamax