Esportes

Maria Elisa e Carol Solberg avançam à final da etapa de Viena do vôlei de praia

O vôlei de praia do Brasil está na final da chave feminina da etapa de Viena, na Áustria, que é de nível cinco estrelas do Circuito Mundial e que distribui pontos para a corrida olímpica brasileira. Neste sábado, a vaga na decisão veio para a dupla Maria Elisa/Carol Solberg, que enfrentraá neste domingo as campeãs […]

Agência Estado Publicado em 03/08/2019, às 19h20

(Divulgação,FIVB)
(Divulgação,FIVB) - (Divulgação,FIVB)

O vôlei de praia do Brasil está na final da chave feminina da etapa de Viena, na Áustria, que é de nível cinco estrelas do Circuito Mundial e que distribui pontos para a corrida olímpica brasileira. Neste sábado, a vaga na decisão veio para a dupla Maria Elisa/Carol Solberg, que enfrentraá neste domingo as campeãs mundiais Sarah Pavan e Melissa Humana-Parades, do Canadá

O jogo decisivo aconteceria ao final da rodada deste sábado, mas, em razão das condições climáticas, será realizado neste domingo. Para chegar à decisão, Maria Elisa e Carol Solberg venceram nas semifinais um duelo contra as compatriotas Taiana e Talita por 2 sets a 1 – com parciais de 21/16, 35/37 e 15/13.

“É muito bom conseguir estes resultados nesta época do ano, pois é o que nós nos planejamos para fazer. Depois de estar rodando o circuito direto por seis semanas, sentindo saudades de casa e dos familiares, alcançar uma final é uma grande recompensa. Vimos várias equipes esgotadas, querendo voltar para casa. Mas tudo que a gente queria é ir bem, jogar até o último jogo e mostrar a nossa força como um time. O jogo hoje na semifinal foi superdifícil. Eu mal consigo andar agora, mas toda vez que eu olhava para o lado via o brilho nos olhos da Carol, o que me motivava a seguir”, disse Maria Elisa.

As canadenses passaram por Ágatha e Duda na outra chave com a vitória por 2 sets a 0, com parciais de 21/17 e 21/12. Na disputa pelo terceiro lugar, que não sofreu modificação na tabela, Ágatha e Duda se recuperaram e levaram a melhor sobre Taiana e Talita por 2 a 0 (31/29 e 21/19).

“Estou muito feliz em conseguir vencer. O jogo contra uma dupla brasileira é sempre difícil, todas se conhecem muito bem. Chegamos em nosso limite físico e emocional neste torneio, por isso estou muito emocionada com este pódio. Esta foi uma das medalhas mais difíceis que conquistei na carreira. As pessoas não imaginam o quanto é difícil a vida de atleta. Estamos buscando o nosso objetivo, e dando o nosso máximo”, contou Agatha.

Jornal Midiamax