Esportes

Prefeitura usa medalhadas ‘estocadas’ por Bernal para premiar em festival de esportes

Segundo secretária da Semed, medalhas e dívidas foram deixadas pela gestão anterior

Raiane Carneiro Publicado em 03/06/2017, às 15h27

None

Segundo secretária da Semed, medalhas e dívidas foram deixadas pela gestão anterior

A prefeitura está realizando a 2ª edição dos Festivais Esportivos da Reme com poucos gastos para os cofres públicos. Segundo a secretária da Semed (Secretaria Municipal de Educação), medalhas não utilizadas na gestão anterior serão usadas neste evento. A abertura foi neste sábado (3), no Centro Olímpico Professor Rui Jorge da Cunha, na Vila Nasser, onde aconteceu competições de atletismo ainda pela manhã. 

O chefe da Deac (Divisão de Esporte, Arte e Cultura), Wilson Landes, explicou que são dois festivais, um deles é destinado para os paratletas das escolas municipais. Participam dos festivais todas as escolas que estão incluídas no projeto Esporte Escolar: uma oportunidade sem limite. Na abertura, a estimativa era de 300 alunos nas primeiras provas. 

A competição que reunirá 4 mil alunos em várias categorias inclui tênis de mesa, lutas, futsal, atletismo, basquete, voleibol, xadrez, handebol e parabadminton. As idades variam de acordo com a categoria dos atletas que são divididos em duas categorias: de crianças de 7 a 10 anos e adolescentes de 12 a 14. Para os paratletas, não tem limite de idade para as crianças e vai até os 12 anos e outra categoria começa com os adolescentes a partir dos 13 anos.

Landes ainda falou do “custo zero” que foi realizar os festivais na Capital. “Todos recebem medalhas. E essas medalhas estavam paradas e agora serão distribuídas” contou o chefe da Deac. Ele explicou que são 2 mil medalhas deixadas na Semed que agora irá para os alunos.

Para a secretária da Educação, Ilza Mateus, o “toda a atividade esportiva é boa para a formação dos alunos porque desenvolver a liderança”. Sobre os custos baixos, ela contou que a secretaria aproveitou para fazer essa utilização das medalhas, mas que não havia muitas coisas disponíveis no almoxarifado da Semed. “O que nós temos é muitas dívidas, isso sim. Dívidas com fornecedores, dívidas com aluguéis de prédios de escolas, dívidas com fornecedores de merendas” explicou. 

Segundo a secretária, foram pagos R$ 240 mil em dívidas de prédios alugados de escolas na Capital, que não foram pagos na gestão anterior. Sobre a dívida com os fornecedores de merenda, a prefeitura conseguiu pagar uma parte do que havia ficado para trás. 

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) participou da abertura e comentou sobre os baixos custos e a reutilização das medalhas. “Tudo que a gente for encontrando, a gente vai limpando, arrumando e entregando porque se trata de dinheiro público investido” explicou.

Sobre os jogos, o prefeito considerou a importância da prática esportiva. “ É um incentivo para os atletas, para que sonhem em chegar em um estadual, um nacional e até quem sabe uma Olímpiadas” disse.

Na abertura, Anna Júlya, de 9 anos aguardava na grade das provas de atletismo do Centro para competir. Seu esporte era arremesso e a mãe, Patrícia Torres, de 30 anos, estava orgulhosa pela filha. “É a primeira vez que ela vai competir aqui porque a gente não sabia que tinha e que era aberto para todos. Agora, quero vir em todos” brincou a mãe. 

Anna Júlya tem paralisia cerebral e pratica o esporte desde os oito anos de idade. A mãe reconheceu a importância da prática na vida da filha, explicando que “o esporte ajudou muito no desenvolvimento” da filha.

Jornal Midiamax