Esportes

Peruanos roubam cena em estreia vitoriosa do Fla no Carioca

Estreia do peruano Trauco em jogos oficiais pelo Flamengo não poderia ser melhor

Clayton Neves Publicado em 28/01/2017, às 23h39

None
588d29d6eae0f.jpeg

Estreia do peruano Trauco em jogos oficiais pelo Flamengo não poderia ser melhor

Duas assistências e um gol. A estreia do peruano Trauco em jogos oficiais pelo Flamengo não poderia ser melhor. 

O lateral-esquerdo foi o grande nome na vitória por 4 a 1 sobre o Boavista, na Arena das Dunas, em Natal (RN), neste sábado, pela primeira rodada do Campeonato Carioca. 90 minutos para fazer a torcida esquecer rapidamente a venda de Jorge, na quinta-feira, para o Monaco (FRA).

Trauco começou a mostrar seu cartão de visitas com menos de dois minutos. Na primeira chegada perigosa do Fla, ele cruzou da esquerda e Mancuello apareceu na área, livre, mas não conseguiu cabecear. Faltou cacoete de atacante para o argentino. 

Ao olhar para o lado do Boavista, o torcedor rubro-negro tinha uma sensação de déjà-vu. Joel Santana à beira do campo, Felipe no gol, Erick Flores na armação, além de Gustavo Geladeira e Fellype Gabriel no banco de reservas. E o time de Saquarema foi valente, criando pelos dois lados do campo e dando alguns sustos em Muralha. 

Aos 31 minutos, após chances criadas pelos dois times, saiu o primeiro zero do placar. Trauco cruzou com perfeição, na cabeça do compatriota Guerrero. O atacante subiu mais do que Antonio Carlos para marcar. Peru e Fla em festa! 

O gol não fez o Boavista desmoronar. E dez minutos depois, Mosquito empatou na mesma moeda. Assistência de Pedro Botelho e cabeçada firme para a rede. Recompensa justa pela atitude e atuação da equipe de Saquarema. 

Na volta para o segundo tempo, o time do Papai Joel começou pressionando. E parecia mais perto do segundo gol. Mas foi castigado. Trauco resolveu curtir uma de atacante e apareceu na cara de Felipe para completar triangulação com Guerrero e Mancuello. Um bonito gol do lateral. 

Zé Ricardo, então, resolveu trocar Adryan por Rodinei. E o resultado foi imediato. Jogando à frente de Pará, Rodinei foi ao fundo e cruzou para Guerrero. E, mais uma vez de cabeça, o peruano marcou. 

Foi o golpe de misericórdia no Boavista. O jogo seguiu aberto, com mais oportunidades criadas dos dois lados. E deu tempo para Trauco fazer mais uma assistência, desta vez para Diego, transformar o placar em goleada. 

Jornal Midiamax