Esportes

Botafogo volta a tropeçar e só empata com Nova Iguaçu

Marcelo abriu o placar, mas Murilo empatou

Clayton Neves Publicado em 29/01/2017, às 00h02

None
588d0ccfd38c6.jpeg

Marcelo abriu o placar, mas Murilo empatou

O Botafogo voltava a jogar no Estádio Nilton Santos após mais de um ano, mas o time que foi a campo era formado basicamente só por reservas. Contra o Nova Iguaçu, neste sábado, o Glorioso até saiu na frente, mas cedeu o empate, e a partida terminou 1 a 1. Agora, foco no Colo-Colo, adversário de quarta-feira pela Taça Libertadores. 

O placar foi aberto logo aos sete minutos, quando Camilo cobrou escanteio na cabeça de Marcelo. O zagueiro nem precisou sair do chão para testar. O Glorioso, então, diminuiu o ritmo. Aos 19, o time visitante chegou com perigo. Iuri Pimentel arriscou de longe, mas Gatito Fernández defendeu sem problemas.

O calor castigava. Mas depois da parada técnica, o ímpeto alvinegro aumentou novamente. Aos 24 minutos, Marcinho recebeu na lateral, tentou de esquerda, mas o goleiro Jefferson pegou. No minuto seguinte, Sassá foi lançado, ganhou do zagueiro e chutou de esquerda. Mas a bola foi por cima. 

O primeiro tempo teve uma boa chance da equipe laranja. Após bate-rebate, aos 34, Murilo Henrique mandou por cima. Três minutos depois, Gilson cobrou falta da direita e Sassa cabeceou. O goleiro Jefferson defendeu. 

Foi o Nova Iguaçu quem deu o primeiro susto da segunda etapa. O centroavante Adriano, de fora da área, chutou com perigo, e a bola ainda foi desviada para fora. No lance seguinte, Camilo caiu na área, pediu pênalti, mas o árbitro não marcou. 

Era o time da Baixada quem parecia mais perto do gol, que aconteceu. Aos 11 minutos, Paulo Henrique cobrou falta na área, a marcação botafoguense só olhou e Murilo guardou. Antes da parada técnica, Camilo cobrou falta, aos 16 minutos, o goleiro defendeu com tranquilidade. 

O Botafogo passou a ter campo aberto para contra-ataques, tinha atacantes rápidos, como os estreantes Joel e Guilherme, mas errava no último passe. Assim, somente aos 32 minutos houve novo perigo. Camilo tabelou com Gilson, mas o goleiro fechou bem o ângulo do camisa 10. 

No fim da partida, mesmo sem entrosamento, o Botafogo teve mais chances. Roger, num rebote, quase marcou. Mas a partida estava fadada ao empate. A torcida mesmo parecia mais preocupada com o próximo jogo. Ao final, entoou: "É guerra, é guerra, é guerra! Quarta-feira é guerra!" Pois que venha o Colo-Colo. 

Jornal Midiamax