Esportes

Palmeiras empata no sufoco, amplia drama e busca “milagre”

Em situação bastante delicada no grupo 2

Diego Alves Publicado em 07/04/2016, às 03h00

None
palmeirasrosariobrigart_1.jpg

Em situação bastante delicada no grupo 2

A noite desta quarta-feira do palmeirense foi muito tensa. A equipe parecia que conseguiria uma importante vitória na Argentina, chegou a ficar à frente do placar duas vezes, mas levou a virada do Rosario Central. Para piorar, Gabriel Jesus, que fez dois gols, foi expulso por agressão e deixou o time brasileiro em situação complicada. Menos mal que Lucas Barrios deixou tudo igual no fim e decretou o 3 a 3, que evita a eliminação alviverde, mas deixa o clube em situação bastante delicada no grupo 2 da Libertadores.

O time somou um ponto e não depende só de si para ir às oitavas de final. Recebe o River Plate uruguaio no dia 14, no Palestra Itália, e pode ser eliminado até se golear, caso Rosario Central e Nacional de Montevidéu empatem na última rodada, no mesmo dia – assim, ambos se classificam e o Palmeiras está fora. O time brasileiro chega a cinco pontos, três atrás do Rosario e do Nacional, que enfrenta o River nesta quinta-feira, no Centenário.

O jogo – Pensando na bola aérea defensiva e ofensiva e para preencher seu meio-campo, Cuca apostou na experiência de Edu Dracena para armar o time com três zagueiros e dois alas. Na frente, a velocidade de Gabriel Jesus era a principal arma, e o atacante, com menos de 30 segundos de partida, saiu cara a cara com Sosa, chutando em cima do goleiro.

O Palmeiras tinha Alecsandro segurando a bola, mais recuado, e Robinho procurando a posse para sair da defesa. A principal iniciativa dos comandos de Cuca era pressionar a saída de bola adversária, causando confusão entre os jogadores do Rosario em sua cabeça de área.

Assim, saiu o gol alviverde. Alecsandro ajeitou de peito no meio-campo para Robinho e Musto, ao tentar recuar, acabou ajeitando para Gabriel Jesus. Novamente de frente para o goleiro, o atacante deslocou Sosa para abrir o placar, aos quatro minutos. Era tudo que o Palmeiras precisava.

O problema é que a equipe não soube aproveitar bem a vantagem. O time inteiro passou a ficar muito perto ou dentro da área de Fernando Prass. O Rosario não mostrava mesma qualidade para criar oportunidades, como ocorreu no segundo tempo do jogo no Palestra Itália, mas tinha campo e espaço para tocar a bola.

O Verdão mal conseguia contra-atacar, porque não trabalhava com a bola – na única vez que conseguiu, Alecsandro arriscou um voleio que parou nas mãos do goleiro, aos 24 minutos. Já o Rosario teve chance ainda mais clara. Aos 28, após cobrança de escanteio, Ruben apareceu livre para dar carrinho, para fora.

Aos 32, falhas foram decisivas contra o Palmeiras. Thiago Martins cometeu falta inocente e desnecessária em Ruben na entrada da área. Na cobrança, Donatti bateu rasteiro e a bola desviou em Robinho, matando Fernando Prass no lance e empatando a partida.

O Palmeiras sentiu o gol e quase levou outro, quando Lo Celso driblou Thiago Martins com facilidade antes de chutar cruzado, obrigando Prass a fazer boa defesa, aos 38. Mas houve eficiência e rapidez para se recolocar na frente. Aos 44, Robinho sofreu falta e cobrou para Gabriel Jesus cabecear nas redes.

Em meio à comemoração e reclamação argentina pedindo impedimento, Prass ainda precisou fazer milagre após Herrera cabecear completamente livre, já nos acréscimos do primeiro tempo. A esperança era de que a equipe voltasse do intervalo mais arrumada para sofrer menos, e o terceiro gol quase saiu. Aos dois minutos, Gabriel Jesus acertou a trave e Sosa ainda espalmou o rebote de Robinho.

Mas os erros defensivos continuavam sendo o pior inimigo do Palmeiras. E ocorreu uma jogada vergonhosa. Aos cinco minutos, o Rosario surpreendeu cobrando falta rasteira e Cervi avançou na grande área sem ser incomodado, com tempo e espaço para observar a saída de Fernando Prass e empatar a partida novamente.

Para buscar a vitória, Cuca trocou Alecsandro e Robinho por Barrios e Zé Roberto. Acabou ficando sem meio-campo e o Rosario ainda tinha os erros da defesa palmeirense a seu favor. Assim, aos 21 minutos, Vitor Hugo puxou Musto na grande área, na frente do árbitro, que marcou pênalti. Não adiantou Fernando Prass acertar o canto, desta vez a batida forte de Marco Ruben encontrou as redes.

Ao Verdão, restava só a bola aérea, e foi aproveitando cruzamento de Egídio que Edu Dracena cabeceou na trave, aos 25. Mas, três minutos depois, Gabriel Jesus, caído após receber falta, chutou a barriga de um adversário na frente do árbitro. O garoto foi expulso, no que parecia um prenúncio de eliminação precoce alviverde.

Até que a bola aérea salvou o Verdão de novo. Aos 31 minutos, Egídio cobrou falta e Barrios passou nas costas da zaga, finalizando com força para vencer Sosa e empatar a partida, aos 31 minutos. Depois disso, o Palmeiras lutou contra o próprio cansaço para somar algum ponto. E ainda teve Fernando Prass superando cãibras para sair nos pés de José Fernández, evitando a derrotas nos acréscimos.

FICHA TÉCNICA

ROSARIO CENTRAL 3 X 3 PALMEIRAS

Local: Estádio Gigante de Arroyito, em Rosário (Argentina)

Data: 6 de abril de 2016, quarta-feira

Horário: 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Roddy Zambrano (Equador)

Assistentes: Byron Romero e Christian Lescano (ambos do Equador)

Cartões amarelos: Pinola, Sebastián Sosa, José Fernández e Musto (Rosario Central); Gabriel, Barrios e Prass (Palmeiras)

Cartão vermelho: Gabriel Jesus (Palmeiras)

Gols:

ROSARIO CENTRAL: Donatti, aos 32 minutos do primeiro tempo; Cervi, aos cinco, e Ruben (pênalti), aos 21 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Gabriel Jesus, aos quatro e aos 44 minutos do primeiro tempo; Barrios, aos 31 minutos do segundo tempo

ROSARIO CENTRAL: Sebastián Sosa; Víctor Salazar, Donatti, Pinola e Pablo Álvarez (Becker); Cervi, Musto, Colman (José Fernández) e Lo Celso; Germán Herrera e Ruben

Técnico: Eduardo Coudet

PALMEIRAS: Fernando Prass; Thiago Martins, Edu Dracena e Vitor Hugo; Jean, Gabriel (Lucas), Matheus Sales, Robinho (Zé Roberto) e Egídio; Alecsandro (Barrios) e Gabriel Jesus

Técnico: Cuca

Jornal Midiamax