Esportes

Michel ouve apitaço, responde com gol, e São Paulo vence

 2 a 0 contra o Novorizontino 

Diego Alves Publicado em 25/02/2016, às 01h33

None
56ce376411da6_1.jpeg

 2 a 0 contra o Novorizontino 

Chamado de erva-daninha por Rodrigo Gaspar, assessor da presidência e cortado do jogo de último domingo por questões técnicas, o ex-capitão Michel Bastos ouviu 90 minutos de apitaço da organizada nesta quarta-feira, no Pacaembu, mas conseguiu responder em campo, com gol de pênalti. Rodrigo Caio, de novo de cabeça, fez o segundo do 2 a 0, diante de 3.333 pagantes no estádio.

Os apitos da torcida organizada do São Paulo, desferidos a cada toque na bola de Michel Bastos, não foram suficientes para evitar que o árbitro, 'chefe' dentro de campo, apitasse pênalti em cima de Rogério, depois de boa enfiada de bola do camisa 7. Vacinado contra as críticas, o próprio Michel pegou a bola, cobrou e reuniu todo o elenco para comemorar o gol marcado aos 19 minutos. O goleiro Anderson se chocou com Rogério no lance, preocupou a comissão técnica, mas seguiu no jogo.

Se os uniformizados vaiaram, o restante da pífia torcida presente no Pacaembu fez questão de apoiar o ex-capitão, que perdeu a braçadeira para o goleiro Denis. O camisa 1, por sinal, trabalhou pouco. Sua preocupação se resumiu aos precitados chutes do grandalhão Wesley, único do Novorizontino a levar algum tipo de perigo à meta são-paulina.

Não foi só Michel Bastos a fazer um bom primeiro tempo. Estreante da noite, o zagueiro Maicon mostrou segurança na marcação ao lado de Rodrigo Caio, mesmo que pouco exigido, chegou até a cabeçar a bola na grande área adversária, ficando perto de marcar o gol e deu lançamentos precisos ao campo de ataque. Exceto no início do segundo tempo, quando não acompanhou Wesley e contou com uma forcinha de Rodrigo para se safar.

O São Paulo diminui o ritmo a medida em que o relógio avançou e 'tirar o pé' custou o domínio da partida ao Tricolor, que viu o Novorizontino incomodar mais no fim do primeiro tempo. Mesmo assim, nada que estragasse bom primeiro tempo dos comandados de Bauza no Pacaembu.

Após jogar 45 minutos no sacrifício, com dores no corte cicatrizado no tornozelo esquerdo, Alan Kardec deu lugar a Jony Calleri entre os titulares. Autor de desarmes importantes, o volante Thiago Mendes foi quem mais correu para tentar fazer a bola chegar no argentino no começo da etapa final. Em vão. O São Paulo seguiu andando em campo.

Com Wesley e Rogério pouco inspirados, o Tigre, aos poucos, se aproximou do campo de ataque. Rayllan passou por João Schmidt, volante que fez sua primeira partida no ano como titular, e obrigou Denis a fazer excelente defesa. Jogando fora de posição, Rogerinho pouco fez centralizado no meio-campo, já que está acostumado com a velocidade pelas pontas e deu lugar a PH Ganso.

Jornal Midiamax