Esportes

Chama Olímpica desembarca na Capital ao som de música paraguaia

Revezamento terá início por volta das 13 horas do sábado

Wendy Tonhati Publicado em 24/06/2016, às 23h36

None
_mg_1038_interna.jpg

Revezamento terá início por volta das 13 horas do sábado

A Chama Olímpica chegou a Campo Grande por volta das 20 horas desta sexta-feira (24), no Aeroporto Internacional da Capital. O fogo olímpico foi recebido por aproximadamente 300 pessoas, ao som de música paraguaia e apresentações de uma banda militar e de um grupo de harpistas. 

O prefeito Alcides Bernal afirmou que a Prefeitura “trabalhou muito para que a passagem da Tocha Olímpica seja feita com toda a infraestrutura, segurança e que Campo Grande merece um evento deste”. Durante a cerimônia, que durou aproximadamente 20 minutos, não foram registrados protestos, porém por conta da falta de organização, houve empurra-empurra entre quem esperava. 

A Chama Olímpica foi levada para um hotel na Avenida Mato Grosso, onde passará a noite e segue, durante a manhã, para 'desfilar' em Bonito, a 230 quilômetros da Capital. Durante a tarde, o Fogo Olímpico retorna para o revezamento na Capital. 

Ronilço, idealizador da Gibicicleta, vai participar do revezamento Entre os condutores da Tocha Olímpica, a expectativa se misturava à emoção de participar de um momento único no país e na vida. Conhecido na Capital pelo projeto da 'Gibicicleta', que incentiva à leitura, o professor Ronilço Guerreiro foi um dos selecionados e foi até o aeroporto esperar a chegada da tocha.

Guerreiro disse que vai receber o 'Fogo Olímpico' na Avenida Júlio de Castilho, às 13h45 e que estava muito feliz em participar de um momento único, mesmo que o percurso dure apenas 200 metros. “Esse momento é desafiador para o país e é hora de provocar espírito de união nas pessoas. Todos somos humanos, precisamos nos unir e a Olimpíada consegue fazer isso”. 

O professor afirmou ainda que vai levar uma camiseta com uma estampa que remete ao Pantanal, por conta da simbologia que os jogos olímpicos possuem. 

Na expectativa pela chegada da Tocha Olímpica estava o militar aposentado Aloísio Tenório, de 72 anos. Ele foi ao aeroporto e levou a própria tocha, feita com cartolina. Tenório contou que acompanha as Olimpíadas desde 1963. “Acompanho todos os eventos e acredito que é muito importante para quem é jovem. É um evento que une as nações”. 

Revezamento

Chama Olímpica desembarca na Capital ao som de música paraguaiaA Tocha Olímpica vai ser conduzida por aproximadamente 150 pessoas durante o revezamento, de 40 quilômetros, em Campo Grande. O trajeto começa por volta das 13 horas e deve terminar aproximadamente às 19 horas. O ponto alto da passagem, será com o no Parque das Nações Indígenas. O atleta indígena, Vanilson Farias, da etnia Terena, vai carregar a tocha em uma canoa. A passagem vai terminar com uma festa com música e apresentações culturais no parque.

A viagem da Tocha Olímpica pelo Brasil começou no dia 3 de maio, em Brasília, e vai percorrer mais de 300 cidades brasileiras, passar por todas as capitais e envolver 12 mil condutores no revezamento, segundo o comitê organizador do evento. São 20 mil quilômetros por terra e 10 mil milhas pelo ar. Durante o percurso na Capital, haverá um comboio com mais de 20 veículos acompanhando os corredores e a população vai poder acompanhar de perto, respeitando uma faixa de segurança.  

Jornal Midiamax