Esportes

Tite elogia Ralf e reitera pedido de renovação: “Voltou e voltou bem”

Volante negocia renovação com diretoria

Midiamax Publicado em 26/09/2015, às 01h44

None
tite-corinthians-foto-marco-galvaofotoarenalancepresslanima2015092501701.jpg

Volante negocia renovação com diretoria

Ralf foi sacado do time do Corinthians no meio do ano, em meio à tentativa da diretoria de conter custos e se livrar do volante. Como é de seu feitio, trabalhou calado e recuperou o seu espaço, fazendo crescer o coro pela renovação de seu contrato, que expira em dezembro.

“A grande contratação que o Corinthians pode fazer – e, se vocês voltarem quatro anos, acharão a mesma resposta minha – é a permanência de seus grandes jogadores, de seu elenco principal. Toda a equipe permanecer é um passo a mais para se estabelecer como grande equipe. Nisso, está inserido o Ralf. Sim”, disse o técnico Tite.

Ele já havia externado posição semelhante anteriormente e a reiterou após a ótima sequência de partidas encaixada pelo cabeça de área. No último domingo, mesmo sob um sol escaldante em um jogo iniciado às 11h, o volante de 31 anos estava em todos os lugares do gramado de Itaquera na vitória por 2 a 0 sobre o Santos.

Ralf voltou a ser usado como titular por causa dos problemas físicos de Bruno Henrique, que convive com dores no tornozelo direito e não está à disposição para a partida de domingo, contra o Figueirense. Mesmo quando Bruno estava apto a atuar, no entanto, o velho titular seguiu firme.

“As oportunidades surgem. Entrou o Cristian e acabou se machucando. Entrou o Bruno e assumiu bem. Depois, também se machucou. Futebol é esse nível de competição. Ninguém vai se manter no mesmo nível o ano todo. O Ralf voltou e voltou bem. Por isso, permanece”, afirmou Tite.

O cabeça de área ainda não fez o suficiente, no entanto, para convencer a diretoria a renovar o seu contrato. Os dirigentes já adiantaram a prorrogação de compromissos que não estavam no fim – como o do lateral direito Edílson, isso mesmo –, porém não mostra a menor pressa com o camisa 5.

Parte do problema é a dívida do clube com os empresários de Ralf, que chegou ao Corinthians em 2010 e conquistou tudo em preto e branco. Desembarcou com ele no Parque São Jorge o meia Danilo, outro ídolo histórico cujo contrato está no final. Também não há pressa do presidente Roberto de Andrade em relação ao camisa 20.

Jornal Midiamax