Esportes

Palmeiras trabalha psicologicamente pela classificação

O negócio é juntar forças entre nós”, declarou Zé Roberto

Midiamax Publicado em 27/10/2015, às 11h35

None
golscarpafluminensexpalmeirasdanielramalhoagifgazeta.jpg

O negócio é juntar forças entre nós”, declarou Zé Roberto

Em meio à oscilação do Palmeiras, o diretor de futebol, Alexandre Mattos, já chegou a mostrar preocupação com a parte psicológica do time. E é nisso que o time trabalha para ir à final da Copa do Brasil. Embora o discurso seja de busca pelo “gol da classificação”, já que basta uma vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, no Palestra Itália – vencer por, ao menos, dois gols de diferença também é suficiente.

“Precisamos de um gol. O sentimento é esse, de primeiro fazer um gol. Mas não podemos estar desequilibrados. A pressão que o Palmeiras faz no início já é natural no nosso estádio. Precisamos apertar o Fluminense no início”, disse o técnico Marcelo Oliveira, que tem ouvido críticas e vê seus jogadores discursarem por calma em campo.

“Precisa ter equilíbrio emocional. Não estamos no nosso melhor momento em termos de futebol, mas, ao mesmo tempo, estamos em uma decisão e precisamos vencê-la. Temos de estar preparados fisicamente e mentalmente para ir à final e tentar buscar o título”, indicou Lucas, um dos líderes do elenco, mostrando ponderação.

“É uma semifinal. O nervosismo estará sempre presente em qualquer situação no momento de tomar uma decisão dentro da partida. Nossa ideia é sempre pressionar qualquer time na nossa casa para fazer os gols. Se fizermos um gol no início, ótimo. Se não, é ter tranquilidade, calma e cabeça no lugar para, no momento certo, fazer o gol”, falou o lateral direito.

A pressão aumentou com a derrota para o Sport, no sábado, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. O time ficou a dois pontos da zona de classificação para a Libertadores, mas caiu para a oitava posição e ouviu a torcida chamá-lo de “vagabundo”, além de cantar que passar pelo Fluminense nesta quarta-feira “não é mais que obrigação”.

“Um resultado negativo como esse nos dá mais força porque, na quarta-feira, vamos encarar essa semifinal como se fosse uma final antecipada. E sabemos que não chegamos por acaso. Ainda fazemos uma grande temporada e acredito muito que podemos disputar e faremos de tudo pela final. O negócio é juntar forças entre nós”, declarou Zé Roberto.

Jornal Midiamax