Esportes

Juiz termina jogo antes da hora e chama atletas no vestiário para terminar partida

Futebol sul-mato-grossense passa por mais um vexame

Midiamax Publicado em 26/02/2015, às 18h07

None
img-20150226-wa0103.jpg

Futebol sul-mato-grossense passa por mais um vexame

Apita o juiz. Termina o jogo. Certo? Não. Pelo menos nesta quarta-feira (25) no estádio Artur Marinho, em Corumbá, a 420 quilômetros da Capital. O árbitro João Lupato se perdeu e aprontou uma tremenda confusão no jogo entre Corumbaense e Naviraiense, válido pelo Campeonato Estadual de futebol.

Depois de sinalizar 6 minutos de acréscimos no segundo tempo, Lupato apitou o fim da partida com apenas 3 minutos de acréscimos transcorridos. O time da casa vencia por 1 a 0 quando o árbitro deu a partida como encerrada.

Com o apito, as duas equipes desceram para o vestiário. Depois de perceber o erro já no vestiário, o juizão chamou as duas equipes de volta para jogar os três minutos que faltavam. O placar não mudou, mas a confusão causou tumulto e revoltou o técnico do Naviraiense, Paulo Rezende, que em entrevista na saída do campo classificou o episódio como “uma vergonha”.

Procurada a FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) declarou que ainda não tem informações sobre o ocorrido e que aguarda a súmula da partida para tomar providências.

Mal na fita

O futebol sul-mato-grossense volta a ser destaque na imprensa nacional de forma negativa. No domingo (22), o Cene foi jogar contra o Cuiabá na capital mato grossense pela Copa Verde e se atrasou para a partida, chegando 15 minutos antes de começar o jogo.

Os atletas mal tiveram tempo para se aquecer. A direção do time campo-grandense culpou o fim do horário de verão como motivo do atraso. Entretanto, os dois estados tem o mesmo horário, uma hora a menos que o horário de Brasília.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as informações pelo WhatsApp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total anonimato garantido pela lei.

Jornal Midiamax