Esportes

Guerrero costuma “bancar” provocações contra São Paulo

Atacante corintiano tem bom histórico contra o rival

Midiamax Publicado em 26/04/2015, às 01h25

None
guerrerolricardosaopauloxcorinthians1105matsukawa.jpg

Atacante corintiano tem bom histórico contra o rival

O posto do São Paulo como rival favorito de Paolo Guerrero no Corinthians foi reforçado na última sexta-feira, quando o peruano ironizou Centurión . “Não quero dar risada”, disse o coritano, rebatendo a afirmação do argentino de que o maior clube paulista é tricolor. Ele costuma bancar essas provocações.

Ao responder à frase do são-paulino, o corintiano apontou a agremiação alvinegra como superior e colocou o título da Copa Libertadores como meta. A julgar por seu histórico nesse tipo de situação, há motivo para otimismo dos fãs apesar da recente fase irregular – com derrota para o próprio São Paulo na competição continental.

Em 2013, os rivais decidiram a Recopa Sul-Americana. Na semana que antecedeu a final, Guerrero afirmou apreciar a tradicional recepção hostil no Morumbi: “Jogam cerveja e garrafas, e a gente gosta”. Em campo, depois de ser atendido e ver o ônibus preto e branco atingido, abriu o caminho para o título.

Já no ano passado, o atacante questionou a qualidade do futebol do São Paulo em um momento no qual a formação tricolor empolgava com seu “quarteto mágico” ofensivo. “Vamos ver se jogam desse jeito contra a gente”, desafiou, antes de ser o melhor em campo no primeiro Majestoso de Itaquera: 3 a 2, decidido com gol peruano.

Desta vez, não há um clássico no horizonte próximo, mas Guerrero está de volta e confiante. Fora do embate com o time de Centurión na última quarta-feira, em recuperação de dengue , ele não teme uma possível semifinal da Libertadores contra o rival.

Jornal Midiamax