Esportes

Dupla santista minimiza Ceni e culpa “pé torto” em clássico

 Os jogadores elogiaram as defesas do camisa 1, mas lamentaram a falta de pontaria nas finalizações

Clayton Neves Publicado em 12/02/2015, às 11h54

None
ceniespalmarubenschirisaopaulofc.jpg

 Os jogadores elogiaram as defesas do camisa 1, mas lamentaram a falta de pontaria nas finalizações

A dupla de ataque do Santos, formada pelo atacante Robinho e pelo centroavante Ricardo Oliveira, deixou a Vila Belmiro nesta quarta-feira, após o empate por 0 a 0 no clássico contra o São Paulo, minimizando um pouco a atuação do rival Rogério Ceni, principal personagem do confronto. Os jogadores elogiaram as defesas do camisa 1, mas lamentaram a falta de pontaria nas finalizações.

“Tivemos mais oportunidades, o São Paulo teve mais posse de bola. Vamos continuar crescendo. Hoje ele (Rogério Ceni) fez uma grande partida, mas a gente chutou um pouco em cima, não tirando os méritos dele”, disse Robinho.

“Nós não tivemos um bom primeiro tempo. O São Paulo teve mais posse de bola. No segundo conseguimos criar, mas, infelizmente, não concluímos bem”, completou Oliveira.

Ceni fez nada menos do que 12 defesas, segundo dados do Footstats, grande parte delas de grande exigência, cinco só da dupla, deixando o campo sobre gritos eufóricos de sua torcida: “todos têm goleiro. Só nós temos Rogério. Goleiro matador”.

O camisa 9 e o camisa 7 santista, por sua vez, atuaram juntos pela primeira vez no ano, 12 anos após formarem dupla de ataque no clube.

O principal momento da atuação memorável de Ceni na Vila foi uma sequência de defesas aos 33min do segundo tempo, quando evitou gols de Marquinhos Gabriel e Renato de forma consecutiva.

O Santos volta a jogar no próximo sábado, diante do São Bernardo, às 17h (de Brasília), no Estádio Primeiro de Maio, no ABC Paulista.

Jornal Midiamax