Esportes

Dunga atinge marca histórica, mas cobra capricho do time

Em sua segunda passagem, Dunga igualou o recorde de Aymoré Moreira

Gerciane Alves Publicado em 11/06/2015, às 10h33

None
dunga.jpg

Em sua segunda passagem, Dunga igualou o recorde de Aymoré Moreira

A marca é impressionante: 10 vitórias em 10 jogos, a última contra Honduras na quarta-feira . Em sua segunda passagem, Dunga igualou o recorde de Aymoré Moreira como melhor início de trabalho de um técnico na Seleção Brasileira . Mas só agora o desafio vai começar de verdade, com a disputa da Copa América . E para continuar na boa fase é preciso mais capricho na hora das finalizações, de acordo com Dunga.

“A Seleção é muito competitiva, toma poucos gols, cria oportunidades. Mas talvez a gente tem que aprimorar na conclusão. Hoje teve mérito do goleiro, mas outras vezes a gente podia ter caprichado mais”, disse.

O técnico do Brasil entende que isso pode ser mais crucial na Copa América. “Em jogos importantes você tem que ter uma ou duas chances e definir o jogo”, afirmou, antes de apontar outras dificuldades da competição sul-americana: o estado físico dos jogadores, a arbitragem e os times retrancados.

“Vai ser uma Copa muito difícil pelo aspecto dos jogadores no final da temporada. Eles jogam no primeiro tempo, mas sofrem no segundo”, analisou Dunga, para depois completar: “a gente vai enfrentar equipes que marcam muito. Pelo que me passaram, não vão permitir muitas faltas. Mas vai ser esse tipo de jogo de marcação e explorando contra-ataque”.

Entre 1961 e 1962, o técnico Aymoré Moreira conseguiu 10 vitórias nos 10 primeiros jogos em que comandou a Seleção Brasileira, treinando Garrincha, Pelé e companhia. Agora Dunga igualou essa marca. O recorde só pode ser contestado porque João Saldanha conseguiu algo parecido: 12 vitórias em 12 jogos, sendo que três dessas partidas foram disputadas contra equipes nacionais, o Bahia e as seleções de Sergipe e Pernambuco. Sem essas partidas, Saldanha fica atrás de Aymoré e Dunga, com nove.

Jornal Midiamax