Esportes

Chelsea segura empate valioso em Paris e leva vantagem nas oitavas da Champions

O sérvio Branislav Ivanovic abriu o placar de cabeça aos 35 minutos de jogo

Diego Alves Publicado em 17/02/2015, às 23h16

None

O sérvio Branislav Ivanovic abriu o placar de cabeça aos 35 minutos de jogo

m armado por José Mourinho, Chelsea encarou o Paris Saint-Germain com inteligência e conseguiu o que queria: marcou um precioso gol fora de casa e segurou o empate em 1 a 1 no Parque dos Principes, nesta quarta-feira, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões.

O sérvio Branislav Ivanovic abriu o placar de cabeça aos 35 minutos de jogo e o uruguaio Edinson Cavani respondeu na mesma moeda aos 5 da etapa final.

Na temporada passada, os dois clubes se enfrentaram nas quartas, e o clube londrino acabou levando a melhor justamente graças ao gol marcado em Paris. Na ocasião, os ‘Blues’ perderam por 3 a 1 no Parque dos Príncipes, e acabaram revertendo a situação com vitória por 2 a 0 em Stamford Bridge.

Desta vez, a tarefa é bem mais simples. Um empate sem gols classifica os londrinos, obrigando praticamente o PSG a vencer em Londres para garantir a vaga. O empate em 1 a 1 leva o confronto para a prorrogação e qualquer resultado parelho com dois gols ou mais de cada lado dá a classificação aos parisienses.

“O empate é um resultado lógico para nós, e o que estávamos buscando quando entramos em campo. Sabemos que somos melhores em Stamford Bridge, mas diante de uma equipe com tanta qualidade, o confronto ainda está indefinido”, comentou o belga Eden Hazard, maior estrela do Chelsea.

“Fizemos um ótimo primeiro tempo. O PSG nos deixou a bola, sem colocar pressão nenhuma. Já a segunda etapa foi mais complicada. Eles foram bem mais agressivos. O nosso goleiro fez uma grande partida e devo reconhecer que eles ficaram mais perto da vitória”, analisou Mourinho.

Nesta quarta-feira, o PSG contou com o apoio de um torcedor ilustre, o astro inglês David Beckham, que encerrou sua carreira no clube. Quem também marcou presença na tribuna de honra do Parque dos Príncipes foi o técnico da seleção brasileira. Dunga teve a oportunidade de observar de perto seis atletas, três em cada equipe.

Do lado parisiense, Marquinhos, que chegou a ser dúvida por sentir dores musculares na coxa, acabou sendo escalado na zaga, ao lado do capitão Thiago Silva. Zagueiro titular da seleção atual, David Luiz também começou jogando contra o ex-clube, que defendeu de 2011 a 2014, mas atuou mais adiantado, na posição de volante.

O veterano Maxwell, de 33 anos foi titular na lateral esquerda, mas já deixou claro depois da Copa do Mundo que não iria mais defender a seleção.

Já o técnico José Mourinho tem a disposição quatro jogadores de seleção brasileira, mas escalou apenas dois, Willian e Ramires. Oscar começou no banco, e entrou apenas nos dez minutos finais. O lateral Filipe Luís também ficou no banco, dando lugar ao espanhol Azpilicueta, preferido por ter caraterísticas mais defensivas.

O duelo foi truncado, com divididas ríspidas, e a maior parte dos lances de perigo veio pelo alto, em cruzamentos sobre a área.

O PSG foi o primeiro a ameaçar a meta adversária, com dez minutos de bola rolando. Jogando mais recuado, Ibrahimovic abriu na esquerda para Cavani, que cruzou na medida para Matuidi. O volante francês apareceu como elemento surpresa e cabeceou forte, exigindo defesa difícil do goleiro belga Courtois.

O time parisiense voltou a ameaçar no minuto seguinte. Desta vez, foi a vez de Matuidi cruzar para Ibra. A cabeçada veio mais fraca e Courtois defendeu sem maiores problemas.

Jogando de amarelo, o Chelsea não se intimidou e começou a crescer na partida, colocando a bola no chão e o PSG na roda.

O primeiro lance de perigo dos visitantes foi aos 29, quando Fábregas cobrou falta com perigo e obrigou o goleiro Sirigu a afastar de soco.

O time parisiense teve outra boa oportunidade logo em seguida, mais uma vez de cabeça. Aos 33, Cavani subiu mais alto que Ramires em cobrança de escanteio e só não abriu o placar porque Courtois se esticou todo para espalmar.

O Chelsea manteve a calma e conseguiu o que veio buscar : o gol fora de casa. Aos 35, o lateral sérvio Ivanovic balançou as redes, em jogada que contou com a participação decisiva de três integrantes da linha de defesa.

Terry pegou a sobra de uma cobrança de falta na esquerda e cruzou para Cahill, seu colega de zaga, que desviou com um lindo toque de calcanhar, para Ivanovic cabecear nas redes.

“Passamos a semana toda pensando em como para Hazard, Willian ou Diego Costa, mas quem marca é Ivanovic, numa assistência de Cahill. Esse é o charme do futebol”, ironizou Laurent Blanc.

O PSG voltou melhor depois do intervalo e Cavani deixou tudo igual logo aos 9 do segundo tempo. Como não poderia deixar de ser, o gol foi de cabeça, com mais uma participação decisiva de Matuidi como elemento surpresa.

O volante recebeu na esquerda e cruzou na medida para Cavani, que não perdoou e justificou o apelido de ‘Matador’, anotando seu sexto gol em sete jogos na competição.

Lavezzi quase anotou o segundo dos anfitriões aos dois minutos, na conclusão de uma grande jogada de Ibrahimovic. O sueco invadiu a área londrina, driblou dois jogadores e chutou cruzado de canhota. Courtois deu rebote, a bola sobrou para Lavezzi, que teve o gol escancarado, mas viu seu chute ser desviado por Azpilicueta.

Aos 20, foi a vez de David Luiz apareceu no ataque com um cabeceio que passou raspando o travessão. No ano passado, quando ainda jogava no Chelsea, ele tinha marcado contra um dos três gols da vitória do PSG em casa.

Ibrahimovic quase deu a vitória aos parisienses nos acréscimos, também de cabeça, mas Courtois salvou o Chelsea novamente, garantindo um ótimo resultado aos londrinos na perspectiva do jogo de volta, marcado para o dia 11 de março, em Stamford Bridge.

“Acho que sem esse goleiro poderíamos ter vencido. Ele foi fantástico. O futebol é assim, vamos tentar buscar a classificação em Londres”, lamentou David Luiz, que teve uma boa atuação no meio de campo.

Jornal Midiamax